Saudades de um amigo que partiu

373
- Anúncio -

Em uma madrugada fria, do dia 30 de julho de 2017, Goiânia perdia um dos seus mais dedicados homens de espírito público. Falecia sob um infarto fulminante o prefeito Paulo Garcia, que 6 meses antes havia deixado o cargo depois de administrar a capital dos goianos por 7 anos e 8 meses. O único prefeito nascido na nossa capital.

A cidade acordou incrédula! As 6 da manha eu já estava em seu apartamento, vendo o corpo estendido em sua cama com sua inconsolável companheira Dra. Tereza Beiler ao seu lado e alguns amigos e parentes próximos.

Ex-prefeito Paulo Garcia, sua esposa Dra. Tereza Beiler e o advogado Edilberto Dias

Foi um dia longo em que a cidade parou para prestar Tributo ao seu ex Alcaide. As rádios, jornais, emissoras de Tv e as redes sociais da internet, só falavam do Médico, esposo, pai e Líder, que partiu tão jovem na flor dos 58 anos de idade.

Um líder que transformou a cidade de Goiânia, que incutiu nas pessoas e na administração publica o conceito de sustentabilidade, que vislumbrando o futuro construiu 100 km de ciclovias e ciclorrotas. Que valorizou os servidores públicos, que honrou a justiça, a advocacia e os credores do município pagando 100% dos precatórios. Um médico que construiu a melhor Maternidade do Centro Oeste onde já foram realizados mais de 13 mil partos e iniciou a construção de outra maternidade melhor ainda deixando com 50% das obras prontas e 32 novas unidades de saúde.

Paulo Garcia pensava grande, muitos reclamavam da sua administração, mas a cidade estava sempre em movimento. A Praça Cívica e a Praça do Sol foram reconstruídas, com um padrão de qualidade excepcional. Construiu 3 viadutos e uma ponte na Marginal Botafogo. Reconstruiu o Mutirama e instalou um novo e moderno teleférico. Construiu dezenas de parques por toda cidade e implantou o Parque Macambira Anicuns que deu uma nova feição a região sudoeste de Goiânia.

Paulo Garcia muito fez, mas não gostava de publicidade, implantou e reformou mais 100 praças pela cidade e em muitas nem compareceu a inauguração. Paulo era avesso a badalações e confetes, era um prefeito do povo, que era encontrado fazendo supermercado ou pedalando nos grupos de pedais por toda cidade.

Trabalhava muito, as vezes ia de bicicleta para o Paço municipal, foi leal ate com os que o abandonaram politicamente. Enfrentou a maior crise econômica do país, mas nunca deixou de pagar a data base aos servidores. Investiu na educação construindo e inaugurando 37 novas unidades educacionais inauguradas (sendo 28 Cmeis e 9 escolas de ensino fundamental) com ampliação de 14 mil vagas para crianças de 0 a 4 anos.

Gostava de esporte e fez questão de construir sem alvoroço 40 Quadras poliesportivas nas Escolas municipais de Goiânia, a Praça da Juventude do Setor Novo Horizonte e o Centro Esportivo Jardim Guanabara.

Paulo Garcia era um grande amigo e partiu cedo e como dizia o poeta Carlos Drummond de Andrade: “Tenho razão de sentir saudade, tenho razão de te acusar. Houve um pacto implícito que rompeste e sem te despedires foste embora. Detonaste o pacto”.

Goiânia perdeu um grande Prefeito e gestor e a cada dia a população reconhece o seu legado. Amém.

*Por Edilberto de Castro Dias é advogado e ex-presidente da COMURG.
edilbertocastrodias@gmail.com

- Anúncio -