Um tour por Paris a filha do Iluminismo!

1336
- Anúncio -
Paula de Abreu
Paula de Abreu – Editora de moda, designer, fashionista formada pela Polimoda Firenze e colaboradora do site Na Pauta Online.
Esta coluna é publicada todas as quintas-feiras

Poucas cidades têm um patrimônio cultural tão relevante e extenso, quando se trata de amor, beleza, espírito, Paris bate todos os recordes.

O título de “Cidade das Luzes” não se aplica por acaso. Historicamente, a cidade foi pioneira nas inovações culturais, sociais e científicas. Quando for a Paris, leve estas ideias para viajar pela arte através dos séculos.

Da Vénus de Milo aos surrealistas
A maior cidade de França tem uma rede fabulosa de museus e galerias. A primeira etapa óbvia será o Louvre, no coração da cidade. O acervo de arte e arqueologia é inigualável e abrange todos os períodos da história. Percorre-lo leva tempo, mas vale muito a pena, foi sede da monarquia francesa.

Imperdível o Centro Georges Pompidou, projeto revolucionário na arquitetura na zona do Marais e com mais de 60 mil obras de arte contemporânea. Após ver a Mona Lisa de Da Vinci no Louvre, aqui encontrará a versão irônica de Marcel Duchamp.

Instalado numa antiga estação ferroviária, o Musée D’Orsay impressiona tanto pela grandiosidade do edifício como pela coleção de pintura e artes plásticas do s. XIX. Van Gogh, Renoir, Degas e Monet fazem parte deste percurso e as filas não costumam ser gigantescas. Mas se encontrar filas longas resista fundo porque vai valer a pena enfrentar.

As obras do escultor e autor de O Pensador no Musée National Rodin, enquanto que o moderno Musée du Quai-Branly se dedica à etnologia e outras civilizações. O maior museu de ciência da Europa e’ o futurista Cité des Sciences et de L’Industrie, um pouco mais longe do centro, no Parc de la Villette.

Fachadas com história
Andar pelos museus já dá uma boa perspetiva da riqueza arquitetônica de Paris. A viagem continua pelos diversos estilos e não apenas no esplendor barroco do Palácio de Versalhes.

Na era medieval, a Île de la Cité marca pontos. É la que estão o Concierge, antigo palácio real, tribunal e prisão, e a famosa catedral de Notre-Dame, construída no século XIII.

A influência renascentista sobressai no Hotel de Ville, edifício da câmara municipal. Já o Arco do Triunfo e o Panthéon são verdadeiras joias do estilo neoclássico. A Torre Eiffel, símbolo máximo de Paris desde 1899, e o Grand Palais representam o período art nouveau durante a “Belle Époque”.

Já no século XX: em 1914 foi concluída a construção da basílica do Sacré Coeur em Montmartre. Apesar de recente, inspira-se no antigo estilo bizantino, com destaque para a catedral de Santa Sofia em Istambul. Quanto ao pós-modernismo está no Pompidou e no Cité de la Musique.

A paixão dos livros
E’ o país com mais prémios Nobel da Literatura. São quinze ao todo, incluindo Patrick Modiano, o vencedor em 2014. Há até um tour parisiense para seguir as pisadas de grandes escritores, franceses e estrangeiros. Da fazer absolutamente
Entre muitas opções, destaca-se a Shakespeare & Company, homenagem à livraria original onde nos anos 1920 reuniam nomes como James Joyce, Hemingway e Ezra Pound. Hoje em dia está situada na 37 rue Bûcherie.

No Museu Carnavalet, uma reconstrução do quarto de Marcel Proust mostra o ambiente em que foram escritos os sete volumes de Em Busca do Tempo Perdido. Não há como escapar a uma visita às casas de dois gigantes do século XIX: a de Victor Hugo na 6 Place des Vosges e a de Balzac na 47 Rue Raynouard.

Para os ouvidos
Debussy, Ravel, Berlioz e Bizet são os grandes nomes da música clássica francesa, que marca presença com grandes produções na Opera Bastille, Théâtre du Châtelet e Cité de la Musique.
A música contemporânea mostra-se através dos eventos promovidos pelo centro experimental IRCAM. No Le Zenith, onde foram gravados muitos álbuns ao vivo, local dos maiores concertos e claro, no verão, é imperdível o festival Rock en Seine.

Molière & companhia
Os palcos fazem parte do charme parisiense. Comédie-Française, Bobino, Mogador e Gaîté-Montparnasse são alguns dos principais palcos de teatro clássico e contemporâneo. No Palais Garnier, antigo edifício neobarroco, são apresentadas também peças de ballet.
O telhado com o moinho vermelho do Moulin Rouge, no Pigalle, é inconfundível. O show de cabaret é provavelmente o espetáculo mais famoso da cidade e claro e’ imperdível.

Torre de Miroku será aberto ao público hoje 23 de agosto.

Pertinho de São Paulo, pedacinho do Japão no Grande ABC, templo religioso amplia conhecimento nipônico.

Os primeiros passos pelo jardim oriental, instalado em Ribeirão Pires, um resgate cultural e a relevância educacional do Templo Luz do Oriente um lugar que alimenta a alma. O espaço perfeito para oração, meditação e contemplação.

Um monumento imponente, a grande Torre de Miroku de 32 metros de altura, 5 telhados cobertos por folha de ouro inspirada na estrutura do Templo Horyu-Ji, localizado na cidade de Nara, no Japão patrimônio mundial pela Unesco. O interior da torre tem mais de 20 estátuas revestidas com ouro. Uma delas tem oito metros de altura e é da deusa Canon, uma das divindades mais importantes do Oriente. Orações matinais às 11h e vespertinas, às 15h30 min.

Como chegar: o acesso será feito por barco, pela represa Billings e dura 20min
Saída a cada 50 minutos
Preço R$ 55.00
Crianças menores de 12 anos e maiores de 60 anos, pagam meia
Ultimo barco de volta parte as 16hs
Para maiores informações:
(+55 11) 3675-5192 / 3675-3741
templo@temploluzdooriente.org.br

Dionne Warwick volta ao Brasil

Nesta quinta-feira (23), a cantora americana de 77 anos que já vendeu 100 milhões de discos se apresenta no Espaço das Américas, em São Paulo.
Ela talvez mostre em São Paulo alguma canção com sua pronúncia simpática do português. E adianta que será um show de hits.

Show da Dionne Warwick no Espaço das Américas as 22hs 22hs na Rua Tagipuru, 795 Ingressos de R$ 260 a R$ 360

Cinema
“Deslembro” o filme brasileiro que concorre em Venezia

Quando a anistia é decretada no Brasil, Joana precisa voltar ao Rio de Janeiro, cidade onde nasceu. Uma história que mistura o presente dessa volta e um passado esquecido”, Flávia Castro, diretora da trama “Deslembro”, que mistura real e imaginação. O longa é o único brasileiro em competição na seleção oficial do Festival Internacional de Cinema de Venezia, que ocorre entre os dias 29 de agosto e 8 de setembro.

O filme, que participa da mostra “Horizontes”, será exibido nos dias 31 de agosto e 1º de setembro e conta com uma produção majoritariamente brasileira, em parceria com França e Catar.

A produção associada com o país europeu veio de uma relação antiga da diretora com a França, lugar onde morou.
A protagonista do filme é a francesa Jeanne Boudier, mas o elenco é mesclado, com participação dos brasileiros Sara Antunes, Eliane Giardini, Jesuíta Barbosa, entre outros. O longa ainda não tem data de lançamento, mas afirma que será entre o fim deste ano e o início de 2019.

Além de “Deslembro”, outro filme brasileiro foi incluído na seleção oficial da Bienal de Venezia: o documentário “Humberto Mauro”, que conta a vida de um dos maiores cineastas brasileiros e filho de imigrante italiano, será exibido na seção “Venice Classics”, que reúne produções clássicas restauradas e documentários sobre cinema.


In bocca al lupo Flavia e Humberto!

Nicole Kidman está quase irreconhecível no “Destroyer”

Nicole Kidman está quase irreconhecível em nova imagem de Destroyer, filme policial de Karyn Kusama na qual a atriz será protagonista. O visual glamouroso aos moldes de Hollywood ficou de lado e deu lugar a um semblante magro e cansado, repleto de marcas de expressão.
Esse novo aspecto planejado para a atriz, que dará vida a uma detetive chamada Erin Bell.

Em Destroyer, Erin Bell precisará acertar as contas com o passado, na juventude, a personagem se infiltrou em uma gangue do deserto californiano, numa missão com resultados traumáticos. Anos depois, ela volta a se relacionar com os membros que ainda atuam no grupo, já que o antigo líder está de volta.

Destroyer tem roteiro assinado por Matt Manfredi e Phil Hay e traz também no elenco Tatiana Maslany (Orphan Black) e Sebastian Stan (Vingadores – Guerra Infinita).
A produção ainda não tem previsão de estreia no Brasil.

Teatro / SP
“Eles Não Usam Black-Tie”

Os atores Kiko Pissolato e Paloma Bernardi são os protagonistas da nova montagem da peça ícone do teatro brasileiro “Eles Não Usam Black-Tie”. Com forte componente político e ideológico, a obra foi escrita há 60 anos por Gianfrancesco Guarnieri (1934-2006). Kiko é o operário Tião, enquanto que Paloma faz sua noiva, Maria.
Fica a dica:
Onde: Teatro Aliança Francesa – Rua General Jardim, 182, em SP
Temporada de 20 de julho à 16 de setembro de 2018
Horário: sextas e sábados às 20h30 e aos domingos às 19h
Ingresso: R $ 60,00 (inteira) | R $ 30,00 (meia)
A bilheteria do Teatro Aliança Francesa abre 2h antes do início dos espetáculos. Para mais informações acesse: http://www.teatroaliancafrancesa.com.br/bilheteria/

Três motivos para que você comece a usar óleo de abacate na pele

Hidratar a pele com óleos é uma prática que parece estar a ganhar destaque. Entre os inúmeros opcoes no mercado nada melhor que optar pelos naturais.
É rico em calorias e é por isso que o abacate é visto como uma das melhores fontes de gordura boa, pelo menos é das que mais está em voga atualmente. É também apontado como benéfico pela sua ação de saciedade, é rico em antioxidante, contribui para a saúde cerebral, reduz os danos nos rins e fígado entre muitos outros.

avocado oil on white wooden

Todos estes benefícios são garantidos quando se come um abacate ou meio, já que é esta a dose recomendada para que se tire o máximo partido desta fruta. Mas há mais vantagens, também para a pele.

Um estudo desenvolvido no México mostrou que o óleo de abacate ajuda no combate aos radicais livres associados ao envelhecimento da pele. Além disso, são capazes de hidratar a pele em profundidade. Vejam três vantagens para a pele que tem esse poderoso óleo.

1. Facilidade de penetração na pele: é graças ao ácido gorduroso que a penetração na pele é facilitada. O óleo de abacate conta com cerca de mais 60% do referido ácido do que o óleo de coco.

2. Pele mais brilhante… e de forma natural, no óleo de abacate encontra clorofila, que dá um aspeto brilhante à pele, mesmo a mais sensível

3. É local e natural: Se procura produtos de beleza naturais e que lhe ajudem a reduzir a sua pegada de dióxido de carbono no planeta, o óleo de abacate é uma boa opção. Além de serem muitos os produtos ecológicos que encontra com este óleo, a produção do fruto é mais amiga do ambiente do que a produção de cocos, que obrigam a mais poluição.

Pudim de Cappuccino

Pudim de leite condensado já é uma delícia, agora imagina essa versão com Cappuccino Chocolate, que é cremoso, gostoso e de fácil preparo. A receita e’ da Tatiana Romano, do site Panelaterapia, vale a pena fazer e’ uma delicia.


Ingredientes:
1 xíc. (chá) de açúcar;
1 lata de leite condensado;
1 lata de leite (use a lata de leite condensado para medir);
3 ovos;
2 col. (sopa) de Cappuccino Chocolate.

Modo de Preparo:
Derreta o açúcar em fogo baixo até virar uma caramelo. Espalhe no fundo e laterais da forma.
Bata todos os demais ingredientes no liquidificador e coloque na forma caramelizada.
Cubra com papel alumínio e leve ao forno preaquecido em banho-maria por aproximadamente 1 hora ou até que a superfície esteja firme ao toque.
Deixe esfriar e leve para a geladeira por 5 horas para só então desenformar.

- Anúncio -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here