Espanha: ainda há esperança de encontrar o pequeno Julen com vida?

- Anúncio -
Paula Tooths
Paula Tooths – Jornalista, produtora de TV e escritora, autora de quatro títulos publicados no Reino Unido e repórter do Na Pauta Online – USA

A operação é delicada e conta com vários riscos, começou há mais de uma semana e podem terminar amanhã.

 

As operações de resgate de Julen duram mais de uma semana. Foram três planos diferentes e todos com riscos para o sucesso. Houve avanços e recuos, mas as autoridades espanholas optaram por escavar um túnel paralelo ao que se encontra a criança de dois anos, em Málaga.

 

Desde que se deu início aos trabalhos, já houve vários obstaculos que obrigaram a alterar o plano inicial e a adiar a data final da operação. Há esperança que tudo acabe amanhã mas a equipe não sabe o que vai encontrar.

 

 

Até agora, cada dia foi uma batalha feita de incertezas e superações. Agora, a busca por Julen aproxima-se do fim.

 

Dia 1 – A notícia pegou a Espanha de surpresa. Uma criança de dois anos caiu num poço na Serra da Totalán, Málaga, enquanto brincava com uma prima, um ano mais velha. O pai de Julen estava por perto e viu quando ele caiu no buraco. Rapidamente tentou socorrer o filho mas já não era possível resgatá-lo sem a ajuda das autoridades. Como o próprio relatou, primeiro à polícia e depois à imprensa, teve a certeza de que o bebé ainda estava vivo quando caiu. Ele garante que escutou o filho chorando por um bom tempo após a queda.

 

No mesmo dia, as autoridades espanholas unem esforços para traçar os vários planos possíveis de resgate. A família recebe apoio psicológico enquanto, no terreno, as autoridades tentam perceber a localização exata de Julen. Recorrendo a uma câmara, tentam alcançar a criança dentro do poço que, já se sabe então, tem 25 centímetros de diâmetro e 110 metros de profundidade. Mas não conseguem passar dos 70 metros debaixo do solo. A unica certeza é de que Julen estará soterrado muito abaixo do que se esperava.

 

Dia 2 – As buscas se intensificam na esperança de resgatar a criança com vida. No segundo dia de buscas, a polícia analisa alguns vestígios como cabelo e doces ali encontrados. As várias possibilidades de resgate naquele momento foram reduzidas a três planos – extrair terra do buraco, cavar um segundo poço paralelo ou escavar a céu aberto o buraco em que se encontra a criança. As duas primeiras foram consideradas menos comprometedoras.

 

O primeiro plano foi a opção escolhida, mas, quando chegam aos 30 centímetros de profundidade, o time de resgate encontra dificuldade no terreno, que se apresenta muito rochoso para arriscar a continuação da extração de terra do poço. Esta será uma luta constante ao longo de toda a operação. Neste ponto, mudam para o segundo plano e começam a escavar um buraco paralelo ao que Julen caira.

 

Dia 3 – Os detalhes do plano são revelados. O túnel adjacente terá uma profundidade de 60 metros. Quando concluído, será escavado um túnel na horizontal para ligar os dois buracos. A expetativa é que esta ligação possibilite o resgate da criança de dois anos.

 

A midia postava tudo a respeito da família da criança – que os pais já perderam um outro filho em 2017 enquanto passeavam em família na praia. Um enfarte fulminante tirou a vida ao irmão mais velho de Julen, que tinha apenas três anos.

 

Dia 4 – As analises dos vestigios foram concluidas e certificaram que é do menino. A declaração das autoridades espanholas serve apenas de confirmação de que Julen está mesmo no poço.

 

Prazos não são dados pelas autoridades . O condição do terreno tem dificultado a escavação. A expetativa é de que até ao final da semana ou até ao início da próxima seja possível alcançar Julen. No entanto, é cedo para fazer previsões. A perfuração do solo pode demorar mais do que isso e os vários contratempos que foram surgindo pedem cautela para previsões.

 

Dia 5 – Equipes de resgate vão construir um buraco paralelo ao poço onde as autoridades acreditam que Julen está soterrado. Apesar de já se tratar do quinto dia de buscas, as autoridades têm esperança de encontrar a criança ainda com vida.

 

Dia 6 – Apesar das máquinas estarem encontrando muita resistência ao tentarem escavar o túnel paralelo por o solo ser demasiado duro, é lançada uma chama de esperança.  É estabelecido um prazo otimista: talvez faltem menos de 24 horas para que os mineiros encontrem a criança. A previsão veio a revelar-se demasiado precipitada no mesmo dia.

 

Os meios envolvidos na operação não param de aumentar. Entre topógrafos, engenheiros, agentes da polícia, geólogos e mineiros contam-se mais de 100 pessoas. A expetativa é de encontrar Julen até segunda-feira, embora as previsões já não sejam assumidas oficialmente.

 

Dia 7 – Depois de avaliados todos os riscos, movem as escavações para construir o furo paralelo que vai permitir estabelecer uma ligação com o poço onde está Julen.

 

Acredita-se que o resgate irá durar, no mínimo, 35 horas. Chove muito no local, o que pode vir a dificultar os trabalhos.

 

Pela noite, as operações estavam tão avançadas quanto as previsões tinham antecipado e o furo já tinha 20 metros de profundidade. Faltam quarenta metros mas o solo começa a apresentar-se cada vez mais difícil de escavar. Confirmam a possibilidade do resgate demorar mais de 48 horas.

 

Dia 8 – Neste domingo, completa uma semana desde o desaparecimento de Julen, a esperança é grande, bem como a cautela. O trabalho dura dia e noite, porem a dureza do terreno voltou a atrasar os trabalhos.

 

Mesmo com todos os obstaculos, o túnel paralelo chegou aos 45 metros de profundidade. Falta pouco menos de metade para que se possa dar início à construção da passagem horizontal, que será construída manualmente e que vai ligar os dois orificios. A dureza do solo durante a perfuração não permite manter a previsão de conseguir chegar a crianca na segunda-feira. Este domingo vai ser inteiramente dedicado a tentar concluir o túnel paralelo para poder dar início à construção dessa ligação no dia seguinte, segunda-feira. E se assim seguir, Julen deve ser resgatado apenas na terça-feira.

 

Dia 9 – As operações entram na reta final mas as ações que se seguem são delicadas. O túnel paralelo deve ficar concluído e a escavação do túnel horizontal começará logo de seguida, quando uma equipe de mineiros deverá transportada para o fundo do buraco através de um elevador feito à medida para este resgate.

 

A ligação entre os dois túneis vai ser escavada com as mãos e com recurso a picaretas. No limite, serão utilizados martelos pneumáticos. Mas a maquinaria não pode ir além destas ferramentas devido aos elevados riscos de desabamento de terras. A dureza do terreno e o fato de ser um trabalho sobretudo manual exige minúcia e tempo. Assim, estima-se que o grupo de escavadores destacado para o resgate de Julen demore mais 24 horas até conseguir estabelecer uma conexão entre os túneis paralelos e esta operação só deve ficar concluída esta terça-feira.

 

Dia 10 – terça-feira, 22 de janeiro – A expectativa é de que os trabalhos sejam concluidos amanhã. E há muita esperanca de que a criança seja encontrada com vida, porém, infelizmente não há certezas.

- Anúncio -