O protagonismo político feminino no século XXI

Ana Paula Rodrigues
Ana Paula Rodrigues, é Coach Eleitoral de mulheres, especialista em Direito Eleitoral, especialista em Direito do Trabalho, Palestrante em inclusão feminina na política e colaboradora do site Na Pauta Online – DF

E nessa semana a coluna político-eleitoral do Na Pauta Online inicia sua redação reverberando sobre grupos de mulheres que resolvem unir-se com um único propósito: exigir protagonismo político.

Devo confessar que ao ler e me aprofundar um pouco mais sobre o tema tive uma epifania tão grande, que resolvi compartilhar com vocês.

Se ao longo de nossos encontros por meio desse espaço, onde temos um encontro marcado a cada 15 dias, eu venho tentando mostrar esse processo de empoderamento da mulher, traçando o histórico dessa construção, assim como louvando todas as ações de mulheres que fizeram parte dessa história de maneira gloriosa, hoje vou falar um pouquinho de mulheres que continuam fazendo a diferença através de grupos e alianças de mulheres que, empreendedoras ou não, participam de movimentos políticos, partidários ou não, mas que tenham por objetivo a ascensão das mulheres na política, que visam uma maior participação feminina em qualquer posição de poder, que tenham ideais comuns de mudança, direito de voz,  de exercitar a verdadeira democracia, e que, principalmente incentive todas, independente de cor, de posição social, de formação cultural, que seja o mais plural possível, enfim, que abrace a todas com a mesma atenção e com o mesmo comprometimento.

Se a maior parte dos espaços nesta esfera é ocupada por homens, surge exatamente daí a importância de criarmos ou participarmos de espaços políticos exclusivamente femininos.

Construir nossa união através de grupos que lutem e defendam os direitos das mulheres, só assim conseguiremos alcançar um índice de representatividade realmente significativo.

Nosso cenário ideal é exatamente esse, fortalecer laços e construir um movimento de emancipação e libertação através de conquistas expressivas advindas do apoio mútuo entre todas essas destinatárias da delicadeza divina, as quais muitos ainda se referem como sexo frágil, mas que possuem na realidade mais força que fragilidade e tornam-se  obstinadas e engajadas na maior e melhor causa que existe: a sua, em sua condição de mulher.