A vida não é só pagar boletos

Foto reprodução - internet

Caroline Santana
Caroline Santana é Jornalista especialista em Assessoria de Comunicação e Marketing e Colaborador do site Na Pauta Online – Goiás

Não é de hoje que nos questionamos se estamos apenas pagando boletos ou vivendo a vida intensamente, e como deve ser vivida. Ou se vamos conseguir emagrecer para a praia do final de ano quando a maioria está de recesso ou férias.

Deveríamos pensar se estes boletos realmente fazem a diferença no nosso dia a dia e se queremos aparecer para as fotos das redes sociais ao invés de estarmos bem conosco e com a vida.

Sei que muitas coisas possuem suas adversidades e são complexas, porém, podemos sorrir para a vida desde o início sendo gratos (as) ao acordamos com o Sol que nos desperta todas as manhãs para as novas oportunidades. Claro que muitas pessoas não acordam sorrindo todos os dias, mas é um exercício diário de colocar positividade e energia no que queremos que dê certo ao longo das 24 horas que passamos com nossa companhia e nos relacionando com o outro.

Quero sempre acreditar que a vida não é somente pagar boletos, ficar estressada (o) e tentar ser firme com os outros. Antes, precisamos ser conosco. Para avançarmos, em qualquer situação é preciso autoconhecimento e até livramentos de muitas questões. Se você parou para ler este texto é porque confia muito mais em uma ida ao cinema com aquela companhia, desde que as pessoas não interrompam a sessão com o excesso da utilização do celular ou barulho. A vida pode ser melhor com quem podemos contar, confiar e ser presente mesmo que distante.

Você pelo menos se importa com o outro mesmo dentro da correria. Não tem como darmos conta de tanta informação, escolhas e passos a tomar no caminho da vida. Muitos boletos servem para nos dar segurança, bem-estar, tranquilidade, contudo, as pessoas as quais amamos, nos identificamos e importamos precisam de elementos que não sejam, exemplo, de somente a preocupação de como pagar aquela conta no dia seguinte.

Ainda mais com a taxa de desemprego no Brasil. Mas eu vim aqui para amenizar um pouco nossas dores diárias para que você também confie que a vida, mesmo que necessite dos boletos para ser gerida, não é apenas isso. Cada um tem o pensamento que corresponde viver bem. Cada um tem sua verdade, ritmo e estilo de vida. Só precisamos nos adaptar, e jamais desesperar, para viver querendo corresponder o que a sociedade prega. Nem ela própria sabe o que é bom para si. Ao longo do tempo perdemos algumas limitações, ganhamos alguns quilos, porém, os aprendizados continuam sempre. Basta saber o que fazer com eles.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here