“A toda poderosa”

Katia Saules
Katia Saules  – Atriz, formada em Artes Cênicas, escritora, critica de artes e colaboradora do site Na Pauta Online – RJ, Esta coluna vai ao ar todas as quartas-feiras.

Uma comédia que critica com humor. O espetáculo é uma sucessão de críticas às tantas burocracias que o povo brasileiro passa diariamente. Como num ‘balcão dos pequenos poderes’, Viviane se desdobra em vários personagens, além do central, que é Deus, em forma de mulher….e dificulta a vida do antagonista.

Viviane Araújo é aclamada logo que entra em cena, tornando a personagem ainda mais poderosa, e dá conta do recado junto do parceiro e talentoso ator, Maciel Silva, que faz o Diabo.

A história se dá quando o Diabo, cansado de sua função, decide tirar férias, mas precisa para isso, passar por todos os percalços que os humanos passam, como o pagamento de taxas, reconhecimento de firma em cartório, ligações para telemarketing e tudo que possa tirar qualquer um do sério. Ele conta ainda com a boa vontade de um Deus, que no caso não quer facilitar a vida de Lúcifer.

Mostrando segurança e boa desenvoltura, Viviane cumpre o papel de fazer “Deus-Mulher”, trazendo contemporaneidade e gerando total identificação com seu público de todos os gêneros. Existe uma ótima troca cênica entre os atores, e isso também é mérito da diretora e atriz, Catarina Abdalla, que usa toda sua veia cômica no espetáculo. Imprime sua marca e resolve questões com bastante habilidade, como nas trocas de cena, quando Viviane deixa de ser Deus e vira os demais personagens.

Tudo é bem colocado, piadas funcionam, o recado é dado e a comédia ainda aproveita para tocar em alguns pontos frágeis e atuais de nosso governo.

A iluminação de Pedro Vicente ambienta bem, a trilha de Ivan Alves também dialoga com o cenário de Marcelo Andrade, que merece elogios pela perspicácia em facilitar as trocas de ambiente. Os figurinos de André Liber Mindi foram muito inteligentes e funcionais pois mantiveram a sensualidade de Viviane sem a expor mais do que o necessário, dentro do contexto oferecido.

Uma peça pra rir, mas também repensar valores e lembrar o quão importantes são as mulheres, na vida, de um modo geral. ‘A TODA PODEROSA’ só reafirma que Deus pode mesmo ser uma mulher…linda e poderosa! Por que não?!

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here