Cia Canadense Les Ballets Jazz de Montreal , se apresenta com músicas de Leonard Cohen

- Anúncio -

Aos 27 anos, o grupo está de volta ao Brasil depois de uma década de sua última visita ao país. Há 21 anos na direção artística, Louis Robitalle revela que todos na cia estão ansiosos

Depois da abertura com Grupo Corpo (8 a 18 de agosto), a 16ª Temporada de Dança do Teatro Alfa continua em alta temperatura, com apresentação da primeira atração internacional, a Companhia Ballet Jazz de Montreal de 30 de agosto a 1º de setembro, Inspirada na obra do poeta dom poeta e autor-compositor Leonard Cohen, a peça foi apresentada para comemorar os 45 anos da criação do grupo, em 2017. Inspirada na obra do poeta e autor-compositor canadense Leonard Cohen, Dance me é a criação exclusiva e ambiciosa que a Companhia Les Ballets Jazz de Montréal escolheu para comemorar os 45 anos de sua criação, comemorado em 2017. Nada menos do que três coreógrafos de renome internacional – Annabelle Lopez Ochoa, Andonis Foniadakis e IhsanRustem – aceitaram o desafio de colocar em movimento as lendárias canções de Cohen. No palco, 14 artistas do BJM, que vem pela sexta vez ao Brasil, dão vida ao espetáculo.

Aprovado por Leonard Cohen durante sua vida e sob a direção artística de Louis Robitaille e a forte e ousada dramaturgia de Eric Jean, esta fascinante homenagem ao famoso poeta-cantor-compositor evoca os grandes ciclos da existência em cinco temporadas, como descrito em a música e os poemas profundamente reflexivos de Cohen. Cercado por uma equipe de designers célebres, Dance Me combina escrita cênica, visual, musical, dramatúrgica e coreográfica para homenagear o maior embaixador de Montreal. Dança, música, iluminação, cenografia e videografia juntam-se neste espetáculo inesquecível, pelo qual a BJM recebeu direitos exclusivos de dança durante cinco anos. O resultado é uma bela notação coreográfica, estruturada em “cinco estações”, onde dança, música e vídeo se fundem, como os tantos ciclos da existência de Leonard Cohen.  Aliando a estética do balé clássico e a energia da dança contemporânea, os quatorze bailarinos da companhia fazem a ligação entre os painéis cênicos com as canções emblemáticas de Cohen.

Em entrevista por telefone, o diretor artístico Louis Robitaille revela os bailarinos estão ansiosos por voltar ao Brasil com a nova produção depois de 10 anos. “Foram, feitas pequenas modificações na produção de Dance Me para a apresentação aqui no Brasil”, conta ele, que já esteve no Rio e em São Paulo com a companhia e tem ótimas lembranças do Brasil. “É quente e sensual, tem a ver com a identidade do grupo.”

A turnê passa por Rio e Curitiba depois de São Paulo. Louis revela que a celebração, a possibilidade de encontro com o público é o que move o grupo na criação artística. ” Dança é uma linguagem universal, assim como a música, que toca e emociona pessoas de diferentes culturas ao redor do mundo. Cada noite é uma celebração. Estar em contato com o público é importante.”   “Leonard Cohen, nessa vibrante homenagem dançada, parece estar presente, e até mesmo assombrar todo o espetáculo”, comenta Elizabeth Machado, diretora superintendente do Teatro Alfa. “Sua legendária silhueta vestindo seu eterno chapéu preto paira sobre a cena, projetada sobre uma tela ou encarnada pelos bailarinos, como para lembrar sua genialidade tanto na escritura de seus textos como em suas melodias.

Companhia Ballet Jazz de Montreal

Criada em 1972, a renomada companhia de repertório internacional cria, produz e apresenta espetáculos e performances de dança baseadas na técnica, rigor e estética do balé clássico. Com direção artística de Louis Robitaille desde 1998, a cia apresentou mais de 2.500 performances em 68 países do mundo todo, atingindo um público total de 2 milhões e 800 mil pessoas. Ocupa lugar de destaque na cena cultural de Montreal e continua sendo uma das cias de dança mais prolíficas. Mantém elenco de bailarinos de calibre internacional. Nos últimos anos, a companhia desenvolveu trabalhos multidisciplinartes, que mesclam a dança com outras formas de expressão, como vídeo e música. Embaixadora da dança candadense, a cia  e seu diretor artístico receberam o prêmio Rideau Hommage em 2016.

BALLET JAZZ DE MONTREAL   (30 de agosto a 1º de setembro).

Programa  DANCE ME – (2017)

De 30 de agosto a 1º de setembro (sexta a domingo)

Horários: Sexta, 20h30; Sábado, 20h; Domingo, 18h

Ingressos – Plateia (R$ 210 inteira) e Plateia Superior (R$ 75 inteira).

Duração – 80 min.

Ficha técnica

Coreografia: Andonis Foniadakis, Annabelle Lopez Ochoa, Ihsan Rustem. Direção Artística: Louis Robitalle.

 Serviço do teatro

Teatro Alfa – Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722, tel. (11) 5693-4000. Site: www.teatroalfa.com.br. Ingresso rápido ou pelos telefones: 11 5693-4000 | 0300 789-3377. Acessibilidade – motora e visual. Estacionamento: Sala A. Vallet R$ 45,00 Self Park R$ 31,00. Capacidade: 1.110 lugares. Ingressos – Plateia (R$ 180,00 inteira e R$ 90,00 meia) e Plateia Superior (R$ 75,00 inteira e R$ 37,50 meia).

Próximas atrações da Temporada de Dança 2019

 QUASAR CIA DE DANÇA  (14 e 15 de setembro).

Ingressos – Plateia (R$ 90 inteira) e Plateia Superior (R$ 75 inteira).

Dias do Assinante: 14 e 15 de setembro

 SANKAI JUKU    (28 e 29 de setembro).

 Ingressos – Plateia (R$210  inteira) e Plateia Superior (R$ 75 inteira).

Dias do Assinante: 28 e 29 de setembro

 DEBORAH COLKER  (23 a 29 de outubro).

Ingressos – Plateia (R$ 190 inteira) e Plateia Superior (R$ 75 inteira).

Dias do Assinante: 24 e 25 de outubro

 Sobre o Teatro Alfa

O Teatro Alfa completa 20 anos de operação em abril de 2018. Nesse período, fez 7.190 apresentações para um público de 3.146.458 pessoas, conquistando espaço relevante na cena cultural da cidade de São Paulo. Administrado pelo Instituto Alfa de Cultura, o Teatro Alfa é um teatro privado que mantém temporadas regulares nas áreas de dança e teatro infantil, apresentando também espetáculos musicais de grande porte, música erudita e popular e teatro adulto. O Teatro Alfa foi idealizado para múltiplo uso e equipado com excelente mecânica cênica, iluminação e sonorização. A sua manutenção exemplar o mantém em perfeito estado de conservação e investimentos são feitos para constante atualização técnica. Com duas salas, os espaços são versáteis e acomodam todo tipo de espetáculo. O Teatro Alfa acolhe com total adequação espetáculos de dança, óperas, orquestras, música popular, teatro e musicais, além de dispor de ótima infraestrutura para realização de congressos e seminários. Segundo a avaliação de artistas produtores, companhias e do público, o Teatro Alfa supera as expectativas por ser conduzido por uma equipe altamente qualificada, apta a receber produções sofisticadas e de grande exigência técnica.

Na Sala A, com capacidade para 1110 lugares, a plateia foi projetada para envolver o palco, permitindo sua melhor exploração. De qualquer uma de suas poltronas, o público tem total conforto e uma visão privilegiada dos espetáculos. A Sala B, com capacidade para 200 lugares, abriga teatro adulto, infantil e música. Inaugurada por Raul Cortez, por lá já passaram nomes como Marco Nanini, Yamandú Costa, Helena Meirelles (último

espetáculo de sua carreira), Nuno Mindelis, Ricardo Herz, Walderez de Barros, Selton Melo e Angela Dip, entre outros.

- Anúncio -