CARRINHOS DE SUPERMERCADO SÃO VEÍCULOS DE GRANDE CONTAMINAÇÃO

- Anúncio -
Tecnologia antimicrobiana aplicada pode proteger contra contaminação
Os carrinhos de supermercados são objetos de grande compartilhamento e, na maioria das vezes, os estabelecimentos têm pouca atenção com a higienização
deles, podendo ser fontes de contaminações cruzadas entre ambientes e pessoas.
Bactérias e fungos encontrados nos carrinhos são capazes de provocar diarreia, gripe, conjuntivite e até ocorrências mais sérias. Por isso, médicos e outros especialistas aconselham a não colocar as crianças para serem transportadas nos carrinhos comuns.
A dermatologista e pesquisadora científica, Érica Monteiro, diz que “pessoas com alergias de pele podem ser acometidas com a gravamento ao entrarem em contato com esses carrinhos”. O mesmo acontece com aqueles que têm o sistema imunológico mais frágil, como crianças, idosos ou portadores de doenças crônicas.
A universidade do Arizona fez uma pesquisa em 2011 que resultou em um dado alarmante: os carrinhos de supermercados têm mais bactérias do que os assentos
sanitários. O microbiologista americano, Charles Gerba, disse em sua pesquisa que três em cada quatro carrinhos apresentaram algum tipo de contaminação por bactéria fecal.
Esse resultado chamou atenção do Legislativo brasileiro. Por isso, em 2015, o Senado fez uma mudança no Código de Defesa do Consumidor, exigindo que a cada 24 horas os estabelecimentos fizessem higienização de carrinhos e cestos de compras. E é por isso que os carrinhos de supermercados são outra frente onde a tecnologia antimicrobiana da Microban atua. Quando aplicada na alça de contato,
por exemplo, essa proteção é capaz de fornecer maior segurança contra contaminações.
A gerente de desenvolvimento de negócios da Microban, EdnaTanaami, explica que a tecnologia exclusiva Microban está incorporada na fabricação de produtos de uso diário. “Uma vez que o aditivo antimicrobiano Microban é misturado com a
matéria – prima, não sai com a lavagem e nem perde seu desempenho antibacteriano ao longo do tempo. A tecnologia incorporada dura a vida útil esperada do carrinho, por exemplo”, explica Edna.
A empresa Rod-Car, fabricante de carrinhos de supermercados, é a única que oferece tecnologia Microban, com revestimento antimicrobiano, incluindo também
cadeirinhas para transporte de bebês. Os carrinhos têm acabamento pintado onde a tecnologia é inserida, garantindo um maior padrão de higiene, atuando nocontrole da proliferação de bactérias e minimizando os riscos de contaminação cruzada em ambientes públicos: supermercados, atacados e lojas de varejo em geral.
Há ainda estabelecimentos que adotam o novo bebê conforto, que é instalado no carrinho de compras. Essa cadeirinha especial é composta por uma estrutura plástica exclusiva, tem formato de assento e conta com proteção antibacteriana

Microban incorporada no polímero. A proteção antibacteriana à base de moléculas de prata é incorporada durante o processo de fabricação dos carrinhos, tornando-se uma parte permanente do acabamento e permitindo que a proteção antimicrobiana seja continua e durável.
A médica pediatra, especialista em infectologia e professora da Escola Paulista de Medicina, Márcia Yamamura, disse que “há alguns anos, foram realizados estudos em dois supermercados da Bahia, apresentado depois nos congressos Latino-Americano e Brasileiro de Higienistas, que mostraram que absolutamente todos os carrinhos estavam contaminados com bactérias nocivas à saúde”, alerta a médica. A médica infectologista diz que “uma das bactérias mais comuns encontradas em carrinhos de supermercados é a Estafilococos, que são responsáveis por infecções, doenças e intoxicação alimentar, como terçóis, faringites, otites, furúnculos e micoses, por exemplo”. Doutora Márcia informa que “essas infecções podem se tornar muito sérias, se forem manipuladas, e se as bactérias penetrarem na corrente sanguínea. Por serem extremamente resistentes, são justamente transmitidas a partir de objetos contaminados, como toalhas, telefones e, também, os carrinhos de supermercado”. Ela diz que “outra bactéria muito comum nos carrinhos é a Escherichia coli, que chamamos de E. coli. Apesar de não ser estranha ao organismo humano, dependendo da situação do sistema imunológico, pode causas infecções – de leves a graves, e podem ser fatais”, ressalta.
- Anúncio -