Possivel negligência na morte de Davide Astori

- Anúncio -

Dois médicos estão sendo investigados por homicídio por negligência àmorte de Davide Astori, jogador da Fiorentina que morreu em março devido a uma parada cardiorrespiratória.

O Ministério Público de Florença, na Itália, emitiu hoje uma nota onde revela a existência de uma investigação aos profissionais de saúde responsáveis que confirmaram a aptidão física do italiano nos últimos anos.

Segundo a midia italiana Astori foi submetido a um eletro cardiograma em julho de 2016 e a outro em julho do ano seguinte.

Nas provas de esforço desses exames, foi detetada a presença de extrasístoles ventriculares: ou seja, o capitão da Fiorentina sofria de um problema cardiovascular que provocava a aceleração do ritmocardíaco.

A condição, contudo, é bastante comum e não merece preocupação. O procedimento habitual é a realização de uma nova bateria de exames para observar se o problema já provocou danos no coração e se tem causado questões adicionais.

No momento, esta segunda sequencia de exames que Davide Astori nunca fez e que é agora o motivo principal para a abertura da investigação aos dois médicos.

A polícia italiana chegou a abrir um inquérito judicial à morte de Astori, que foi encontrado morto num quarto de hotel em Udine, para averiguar a possibilidade de se ter tratado de um homicídio.

A hipótese acabou por ser afastada e a morte do jogador da Fiorentina foi mesmo atribuída a causas naturais.

A presença de extrasístoles ventriculares, contudo, é a principal causa de morte de atletas em atividade e foi na sequência deste mesmo problema que Antonio Puerta, lateral do Sevilha, morreu em 2007 aos 22 anos, depois de sofrer várias paradas cardiorrespiratórias durante um jogo com o Getafe.

Davide Astori, nascido em San Giovanni Bianco, na província de Bérgamo, tinha 31 anos e jogava na Fiorentina desde 2015, depois de passagens pelo AC Milan, Pergolettese, Cremonese, Cagliari e Roma.

O time do Florença estava hospedado em um hotel de Udine, em preparo para um jogo com a Udinese, e os colegas do Astori começaram a estranhar o fato de o jogador não desceu para o café da manha.

Depois de vários companheiros do time tentarem ligar para o italiano, Davide foi encontrado morto pelo massagista da Fiorentina. 

O corredor do hotel encheu-se de colegas em choque, que choravam a morte do seu capitão.

Dias depois da morte de Astori, o Cagliari e a Fiorentina anunciaram que iriam retirar a camisa 13 que tinha sido usada pelo jogador. 

- Anúncio -