Britânicos armazenam alimentos e medicamentos pela incerteza do Brexit

Britânicos estão a gastar milhões de libras em provisões e reservas de emergência. Indústria alimentar do país alerta para possível desabastecimento durante “semanas ou meses”.

Um em cada cinco britânicos está a armazenar alimentos, bebidas e medicamentos por recear a falta destes bens no caso do Reino Unido sair da União Europeia (UE) sem acordo, a 31 de outubro, segundo um estudo esta segunda-feira divulgado.

As famílias britânicas gastaram 4.000 milhões de libras (4.280 milhões de euros) em provisões e cerca de 800 mil pessoas investiram individualmente mais de mil libras (1.070 euros) em reservas de emergência, de acordo com o estudo, elaborado pela empresa financeira Premium Credit.

Entre os que estão a armazenar provisões, 74% acumulam alimentos, 50% medicamentos para uso próprio, 46% bebidas e 43% medicamentos para outros elementos da família.

A indústria alimentar britânica advertiu na semana passada que uma rutura sem acordo com a UE poderia provocar o desabastecimento no país durante “semanas ou meses”.