“UM DIA A MENOS”

Katia Saules
Katia Saules – Atriz, formada em Artes Cênicas, escritora, critica de artes e colaboradora do site Na Pauta Online – RJ, Esta coluna vai ao ar todas as quartas-feiras.

Uma delicadeza de espetáculo! Singelo, simples e forte.

Incrivelmente complexa em sua simplicidade, a peça é puro questionamento. Em 40 (perfeitos) minutos, Margarida (personagem da maravilhosa Ana Beatriz Nogueira), repensa sua vida na solidão. Escolhas a levaram até aquele lugar, mas no momento em que se vê realmente só, não suporta sua própria companhia e sucumbe ao tédio de um dia vazio, como a própria personagem diz: ‘sem coisas boas, nem ruins…’

Ana Beatriz Nogueira brilha no monólogo, que é uma adaptação do conto homônimo de Clarice Lispector, que fora escrito um ano antes de sua morte. Um texto denso, tocante e repleto de melancolia, que narra a dificuldade de uma mulher em passar um dia inteiro completamente sozinha, dentro de sua casa.

Uma peça que fala sobre o tempo, que se mal utilizado, vira nosso algoz. Muita reflexão, e a mensagem de se viver a vida de modo que ela de fato valha a pena, considerando que temos sim dias bons e ruins e que todos devem ser aprendidos e vividos com plenitude.

A opção de Leonardo Netto em dar um tom calmo ao espetáculo, nos faz entrar no tempo real de Margarida, que não tem pressa, muito pelo contrário… e nos faz saborear, junto dela, cada palavra dita. Uma mulher normal, de verdade, frágil e em momento de total fragilidade, quando repensa os porquês de sua existência. Quem nunca foi Margarida um dia?

Os poucos elementos cênicos contribuem para que a atenção vá toda para o que de fato importa.

A taça no chão já no início do espetáculo significa muito e faz todo sentido no decorrer e principalmente no final. Tudo perfeitamente colocado para que a palavra seja a protagonista da história.

Contando com a pontual luz de Aurélio De Simoni e o perfeito figurino de Kika Lopes, Ana Beatriz e Clarice já são suficientes motivos para irmos ao teatro. Com a direção preciosa de Leonardo Netto, que teve como assistente de direção a sensacional Clarisse Derzie Luz, o sincero desejo é de que ‘Um dia a menos’ tenha muitos dias a mais…

1 COMENTÁRIO

  1. Cada palavra nos desperta o interesse no espetáculo descrito. Mais uma excelente crítica de um um lindo monólogo!
    Que essa coluna resista e que venham muitas críticas teatrais.
    O Teatro brasileiro e a arte agradece!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here