“O que diziam os poemas?”

Foto reprodução: Não sei como escrever poesia - Bibliomundi

Caroline Santana
Caroline Santana é Jornalista especialista em Assessoria de Comunicação e Marketing e Colaboradora do site Na Pauta Online em Goiás

Muitas vezes somos impactados por poemas que lemos ao receber no celular, em algum livro da estante e em tempos de expansão da tecnologia, de forma digital. A leitura passa pelos olhos, atinge a alma e o coração seja no ônibus ao ir para o trabalho, na sala de espera do médico e até em um café enquanto espera um amigo.

Ou talvez nem seja bem assim já que o celular tomou conta das nossas vidas e é uma extensão dos nossos corpos. Mas eu recebo poemas além da tela do celular ou visitando aplicativos. Para quem já foi poeta sabe encontrar a imensidão do que os poemas dizem no trânsito, ao passear com o cachorro no parque e porquê não no poste de rua? Ou melhor, principalmente. 

São mensagens que não podem ser lidas rapidamente mesmo que nossas vidas exijam isso o tempo inteiro. É para serem saboreadas assim como o chocolate favorito, o café que nos aquece e inebria, ou ao vivenciar novas experiências e sabores que ampliam não somente o estômago, mas a visão. Não estávamos falando dos poemas pela cidade? Ou de sensações gustativas? De tudo. Por que você sabe me dizer ‘o que diziam os poemas?’ Já cantava Humberto Gessinger na canção.

Os poemas dizem tudo que não sabemos expressar com a fala mesmo falando o que tem de mais bonito em nossos corações. Eles apertam, envolvem, enlaçam, afrouxam, machucam, permitem. No próximo sábado, 12, feriado nacional em honra à Nossa Senhora Aparecida também é dia das crianças (não custa lembrar que a data para elas não é feriado) e também dia nacional da leitura. 

Precisamos desenvolver esse hábito nelas, em nós, no dia a dia sem que a ansiedade nos acometa. Porque os poemas dizem muito quando o silêncio entre duas pessoas fala mais alto, quando a indiferença só é suportada com lágrimas e o amor próprio nos visita mais uma vez. Nos poemas encontramos amor, amizade, um ombro amigo tão escasso ultimamente. Nos poemas enxergamos o velho amor do passado, ouvimos nossas almas e reflexões. Eles podem ser a diferença para um recomeço, uma canção, uma cantada e quem sabe o início de uma nova história, aquela contada por você.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here