Coronavírus: cloroquina e outros possíveis medicamentos

A cloroquina, recomendada como tratamento já na fase inicial da covid-19 pelo presidente Jair Bolsonaro na quarta-feira, durante pronunciamento em cadeia nacional, é apenas um dos remédios e substâncias estudados por várias frentes da comunidade científica em busca de soluções na luta contra a pandemia do novo coronavírus.

A cloroquina, ou hidroxicloroquina, aliás, é um dos fármacos já aprovados e utilizados para outras doenças que são vistos como alternativas imediatas na luta contra o coronavírus porque já passaram as inúmeras etapas de avaliação necessárias para lançar um remédio no mercado, como testes em animais, por exemplo.

Mas não há evidências conclusivas sobre a eficácia destas drogas contra o vírus, nem sobre a segurança de seu uso em pacientes da nova doença. Por isso, é um dos objetos de vários estudos em andamento.

Grande parte desses estudos clínicos é feita diretamente com pacientes infectados. Alguns são realizados in vitro.

O combate contra o novo coronavírus inclui ainda testes com plasma sanguíneo, células do cordão umbilical e até mesmo sangue de vermes marinhos.