Encontrado morto embaixador da China em Israel

O embaixador da China em Israel, Du Wei, foi encontrado este domingo “sem sinais vitais” no interior do seu apartamento na cidade de Tel Aviv, Israel, noticiou este domingo de manhã, 17 de maio, a estação Israel National News. Tinha 58 anos e antes de exercer o cargo de embaixador da China em Israel tinha sido embaixador do mesmo país na Ucrânia.

De acordo com a Israel National News, não se conhecem ainda as causas da morte. Nem o ministério dos Negócios Estrangeiros de Israel nem as autoridades policiais locais avançaram com qualquer informação oficial relativa à causa de morte.

“Seguindo o procedimento habitual”, deslocaram-se à casa de Du Wei “unidades policiais”, indicou apenas um porta-voz das autoridades locais à agência de notícias Reuters.

O jornal local Haaretz refere que embaixadas um pouco por todo o mundo já contactaram o ministério dos Negócios Estrangeiros de Israel, pedindo mais detalhes sobre as circunstâncias que provocaram a morte do diploma.

Estação pública de Israel diz que morreu de causas naturais

A estação pública de informação de Israel — Israeli Public Broadcasting Corporation —, por sua vez, avançou que não foram encontrados sinais de violência no corpo do embaixador e que a avaliação preliminar das equipas no terreno aponta para que Du Wei tenha morrido de causas naturais.

Embora também referisse que a causa de morte de Du Wei, que se tornou embaixador em Israel há apenas três meses (em fevereiro), não era ainda publicamente conhecida, o diário noticioso israleita Yedioth Ahronoth citava esta manhã “fontes” (não identificadas) que avançavam que o embaixador da China em Israel teria tido uma paragem cardíaca durante a noite e fora encontrado morto na sua cama.

O diário Yedioth Ahronoth, por sua vez, vincou que a notícia da morte foi confirmada pelo adjunto do embaixador da China em Israel, Dai Yuming, num “briefing” oficial à comunicação social, sem mais explicações oficiais sobre as causas do falecimento súbito.

O diplomata chinês era casado e tinha um filho, mas nenhum dos elementos da sua família está atualmente em Israel, segundo o Yedioth Ahnoroth.

Fonte: Observer/PT