COVID-19: A mudança de rotina

Denise Goulart Schlickmann

Muitas pessoas foram obrigadas a mudarem suas rotinas devido a pandemia COVID-19

No Brasil já são mais de 800 mil casos confirmados de coronavirus e mais de 40 mil mortes.

As autoridades em saúde sempre defenderam e continuam a defender que o método mais seguro é a prevenção, através do isolamento social. Várias campanhas foram veiculadas mundo a fora, inclusive no Brasil, com os slogans: “fique em casa”, “mantenha-se seguro”, “evite aglomerações.”

O Na Pauta Online, bateu um papo com a servidora do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina, a doutoranda em direito, Denise Goulart Schlickmann.

Denise tem 51 anos, é divorciada e tem dois filhos, ela nos contou através deste bate papo, como era, o que mudou e o que temos a aprender com esse momento:

 NPO: Como você descreve a sua rotina diária antes da Pandemia COVID-19?

DGS: Minha rotina diária exigia deslocamentos diários para o trabalho, trânsito intenso e muitos deslocamentos para eventos fora da minha cidade. Ficava pouco em casa.

NPO: O que mudou em termos de rotina/dia/trabalho?

DGS: O volume de trabalho não sofreu alterações, mas a sua forma de realização sim. Não enfrento mais os transtornos de trânsito e deslocamentos em aeroportos. Vi os eventos presenciais fora da cidade converterem-se em eventos virtuais. Abrem-se novos cenários e possibilidades, totalmente diferentes daqueles antes existentes.

NPO: Como tem sido ficar em casa por mais tempo que anteriormente?

DGS: Um momento de vida extremamente prazeroso.

NPO: Como ficou a família com o isolamento?

DGS: Estamos sempre juntos, agora não apenas com qualidade, mas também com quantidade de tempo, em proporção muito maior do que no cenário anterior. Tenho filhos em idade universitária, que seguem com aulas à distância.

NPO: Fez algo que não fazia há muito tempo com o isolamento?

DGS: Tenho mais tempo para atividades pessoais e para aproveitar o conforto do lar, coisa rara no meu cotidiano.

NPO: Algum aprendizado com este processo que o mundo passa?

DGS: A saúde, a liberdade e a proximidade com as pessoas que amamos são os valores mais importantes a preservar. Além disso, fica a lição de solidariedade com aqueles que mais precisam e com um cuidado e um olhar mais direcionado à valorização da natureza que, independentemente do que os seres humanos passam, se renova a cada dia.

NPO: Gostaria de deixar alguma mensagem a quem está lendo esta matéria?

DGS: Na vida prevalece a máxima de que tudo passa. Os bons e os maus momentos não se perpetuam no tempo. Que aprendamos com a contínua renovação do mundo as lições de aprendizado que cada mudança nos traz.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here