Bérgamo estima que número de mortes é o dobro do divulgado

A província de Bérgamo, no norte de Itália, região mais atingida pela pandemia da COVID-19, estima que o número de mortes seja de cerca de 6.000, o dobro do número oficial, explicou esta terça-feira o autarca da região, Giorgio Gori.

O autarca da capital da província diferencia os “dados oficiais” divulgados pela Proteção Civil e pelo Governo da região da Lombardia e os “dados reais” obtidos pelos registos de cada um dos 243 municípios da província.

Segundo a contagem oficial, 2,800 pessoas morreram de coronavírus em toda a província de Bérgamo, embora Gori ressalte que na verdade esse número é o dobro, com mais de 6.000 vítimas.

“A Proteção Civil conta apenas as pessoas que foram diagnosticadas com a doença antes de morrerem, mas a maioria não foi testada”, disse o autarca num encontro virtual com a associação da imprensa estrangeira em Itália.

A cidade de Bérgamo, com 120.000 habitantes, foi a mais afetada pela pandemia e perdeu 670 moradores. Para demonstrar a magnitude desta tragédia, Giorgio Gori afirma que esse número equivale a cerca de 45.000 mortes numa megalópole como Nova Iorque.

Por outro lado, a província registou 13.609 infeções desde o início da crise, em fevereiro e, embora a pandemia mostre sinais de queda em todo o país, no norte, ao contrário do centro-sul, ainda são registados centenas de novos casos.

O autarca acredita que esses dados são normais, dada a “dimensão” da doença na Lombardia, mas também porque a região se esforçou para promover um sistema de diagnóstico e teste: “Quanto mais se procura o vírus, mais é encontrado”, afirmou.

Fonte: EFE