A modinha relacionada a Psicopatia

Será que falar que é psicopata é chique?

Mais um caso relacionado à psicopatia vem a tona nas mídias sociais, na cidade de Goiânia, onde “amigos”, escolhem uma amiga pelas características físicas, para simplesmente saciar a curiosidade de uma dos envolvidos, pasmem ela queria saber se ela é psicopata.

Chocante uma notícia dessas, não é? Pois este tipo de notícia nos mostra que vivemos em meio a pessoas com transtornos que nos expõem a riscos constantemente.

Como na questão do suicídio, creio que o excesso de divulgação deste tipo de acontecimento acaba que incentivam tais ações, pessoas com distúrbios se sentem impulsionadas por fatos divulgados.

O que será que faz com que desperte este interesse voltado a este assunto? Seriam Copycats? Ou realmente são psicopatas? A divulgação nas mídias alimentam esta vontade de cometer atrocidades?

Em geral as pessoas sabem quem é o psicopata. É o serial killer, o estuprador, o bandido que mata, mas as pessoas não sabem que os psicopatas incidem de 1 a 3% da população, ou seja, nasce em qualquer lugar do mundo 1 a 3 % de pessoas que são psicopatas. Isso é muito? Ou seja, no mundo onde hoje vivem 7,2 bilhões de pessoas temos pelo menos 70 milhões de psicopatas entre nós. No Brasil onde somos 207.516.998 temos, entre nos 207.517 mil psicopatas, segundo Morana Hilda.

Enfim quem são realmente os psicopatas?

O psicopata tem uma alteração do caráter. O caráter nos dá o grau de respeito que temos aos outros, os seres normais gostam uns dos outros, nós gostamos dos outros só porque eles são seres humanos como nos. Dessa forma, conversamos com as pessoas no elevador sem as conhecermos, nas filas e em toda situação de espera. Nós respeitamos as pessoas. Se virmos alguém precisando de ajuda prontamente lhe ajudaremos isto é natural nas pessoas normais de caráter, para nós, normais de caráter é impossível passar por uma pessoa caída na rua, ou que se machucou, ou que está com dificuldade para realizar algo e nos simplesmente ignorarmos esta pessoa, a isso chamado de indiferença afetiva, ou seja, não fomos nós que praticamos aquela maldade, mas simplesmente deixamos de ajudar quem sabemos que precisa. O psicopata, ele não só é insensível aos outros como ele é indiferente, a insensibilidade do psicopata o leva a atos de crueldade. A crueldade pode se manifestar por matar alguém ou prejudicar gravemente outras pessoas então, considerando o caráter como o respeito que temos ao outro.

O que realmente é esse transtorno?

A psicopatia é a forma mais grave de transtorno de personalidade, são os casos em que acabam por cometerem crimes violentos. A diferença entre defeito do caráter e psicopatia é qualitativa. O Psicopata é cruel, tem uma crueldade fortuita, apenas porque é da sua natureza ser insensível ao outro.

O que podemos fazer para nos precaver desse tipo de pessoa?

As pessoas têm que começar a perceber e se afastar de pessoas com transtorno de personalidade, ou seja, do caráter, elas acham que o sujeito é meio esquisito, meio individualista, meio fechado. Percebem que não é uma pessoa com bons sentimentos para com os outros, mas como estão envolvidas, seja no plano conjugal ou pessoal, acabam relevando certos comportamentos que percebem como anormais. Podem acabar mortas! E, como já dissemos, é muito comum ao sujeito com psicopatia que para seduzir alguém, mostra se muito bonzinho. Costumam presentear com exagero para seduzir a pessoa e a maioria delas se deixa mesmo seduzir por presentes e atenção, quando os psicopatas conquistam a confiança de alguém é aí que vem o golpe! E, se a pessoa se opuser ao sujeito vai ver quem de fato ele é.

As vítimas de psicopatas costuma ser as bem boazinhas, as ingênuas, as prestativas, enfim, pessoas boas, as pessoas que vem maldade em outras pessoas e também as carentes que são vítimas mais fáceis.

Enfim, o caráter é a maneira como o sujeito expressa as suas disposições afetivas e é evidenciado através do comportamento interpessoal.

Aconteceu em Goiânia, agosto de 2021…

A Polícia Civil suspeita que a adolescente de 16 anos investigada por envolvimento na morte de Ariane de Oliveira, de 18 anos, em Goiânia, foi quem teve a ideia do crime e teria sido a primeira a dar uma facada na vítima. O delegado Marcos Gomes contou que a menor aparenta ter grande influência sobre Raíssa Nunes Borges, 19, que teria decidido matar a amiga para saber se era psicopata.

Os quatro amigos saíram juntos para lanchar em um shopping da capital logo após o crime, segundo informou a polícia. O delegado lembrou ainda que, após Ariane ser morta, os suspeitos continuaram agindo de forma aparentemente normal, inclusive, fazendo publicações nas redes sociais.

 

C H O C A N T E…

 

E ai? Seu filho tem amigos? Como temos que lidar mediante uma situação dessas?

 

1- Se informe sobre quais os riscos seu filho corre nos principais ambientes que ele frequenta;

2- Seu filho deve ter amizades com colegas do mesmo perfil que o dele;

3- Você deve conhecer a família deste amigo e principalmente saber como é o perfil desta família, ter uma relação de proximidade com esta família;

4- Em contato com esse amigo, como está o comportamento de seu filho, houve mudança de comportamento? Para melhor e ou pior?

5- Rastreie o aparelho celular de seu filho, não será uma invasão de privacidade e sim uma questão de segurança, pois em caso de perda de celular, sequestro etc será mais fácil a localização;

6- Crie o hábito de dialogar com seu filho, abordando todo e qualquer tipo de assunto;

7- Traga seu filho para sua família, faça programas em família, participe do grupo familiar;

8- Discuta casos como o citado para que ele saiba o por que de sua preocupação e das atitudes e ações tomadas;

9- Observe comportamentos de todas as pessoas que estão ao redor de seu filho;

10-Todo cuidado é pouco…

 

A informação é a chave do negócio pois gera mudanças comportamentais para melhor e nos protege de pessoas com transtornos e patologias, resolver o problema pode não resolver cem por cento, mas nos deixa mais espertos para que possamos evitar tais situações!

E conhecer esses perfis patológicos, se torna primordial para que possamos aprender a viver desviando de tais assédios, ataques e atrocidades.

 

Fico por aqui… a verdade que fala!