As dimensões do amor

No período de folia, com os blocos agitando a cidade, desfiles de escolas de samba, uma proposta diferente que tem como objetivo promover a reflexão, a oração e estudo do espiritismo foi realizada de 22 a 25 de fevereiro, no Centro de Convenções, em Goiânia, a 36ª edição do Congresso Espírita de Goiás. Tradicionalmente realizado na capital pela Federação Espírita do Estado de Goiás (FEEGO), o Congresso contou com palestras, uma programação diversificada que atendia também separadamente bebês, crianças, jovens e adultos.

Cerca de 4 mil pessoas participaram durante quatro dias do evento voltado ao maior ensinamento de Jesus: o amor. A psicóloga de Silvânia, Graziella de Paula Ramos contou que sua principal motivação em participar do Congresso é a possibilidade da captação de energias emanadas no evento. Ela que participa há cinco anos disse que é uma verdadeira renovação energética. “Adquiro novos conhecimentos espíritas no Congresso e recursos necessários para a efetivação da prática espiritual,” ressaltou a psicóloga. Graziella informa que o Congresso se faz importante para a expansão dos conhecimentos, a interação entre os espíritas e o fortalecimento do movimento espírita em Goiás.

Psicóloga de Silvânia, Graziella de Paula Ramos - Foto: Feego Goiás
Psicóloga de Silvânia, Graziella de Paula Ramos – Foto: divulgação

Para ela, alguns pontos chamaram mais a atenção durante os dias de evento como os palestrantes renomados, o público na sua maioria composto por idosos e o comprometimento dos participantes nas mudanças necessárias para a prática assertiva das ações no movimento espírita. Graziella participa em sua cidade de ações no Centro Fraternidade Espírita Allan Kardec. “O Congresso me proporcionou a capacidade de olhar para o próximo com empatia e amor em todas as instâncias. Somos amado por Deus sem distinção, independentemente dos comportamentos e atitudes apresentados por cada um de nós,” relata. A psicóloga espírita destaca que a interação e compartilhamento de vivências espirituais com pessoas de várias localidades foram os destaques essenciais do evento.

Questionada sobre possíveis melhorias, ela abordou a área de convivência que poderia ofertar espaços apropriados para os momentos de descanso dos participantes. “Sobre os preços dos alimentos também da área de alimentação, que eles se tornem mais acessíveis ao público,” comentou.

Ambiente fraterno

O servidor público municipal, Hugo Butenco Vieira é espírita desde os oito anos de idade, mesmo com uma família de origem católica. Frequentador do Centro Espírita, Posto de Assistência Menino Jesus, ele ressalta que participar do Congresso é sempre uma oportunidade de estar próximo aos renomados palestrantes espíritas brasileiros. “Ao mesmo tempo estar atualizado com as novas informações científicas que vem somar ao que o espiritismo já tem contribuído para ajudar em nossa evolução espiritual,” disse. Suas motivações em participar são referentes ao ambiente fraterno e a oportunidade de estar sempre aprendendo. “Participo desde 2002. As palestras desta edição foram muito inspiradoras. Porém, ao final com a realização do painel integrado onde ocorreu uma síntese de todo o Congresso para mim foi bastante emocionante,” destaca.

Hugo Butenco Vieira – Foto: divulgação

Após a conclusão de todas as atividades, o servidor comenta que estará mais consciente da necessidade de se esforçar para se tornar um ser humano mais amoroso, paciente e tolerante. “O Congresso Espírita de Goiás é um dos mais antigos no Brasil, referência em qualidade de sua organização e com isso têm atraído neste período de Carnaval o turismo religioso pela importância do evento para o movimento espírita,” enfatizou Vieira. Para ele, o que mais chamou sua atenção foi o sentimento fraterno entre os congressistas. Sobre possíveis melhorias, ele acredita que seria importante uma mesa interreligiosa para discutir pontos em comum entre as diversas religiões. “Assim podemos diminuir o preconceito por desinformação,” salienta.

Palestras e outras atividades 

Foto:Feego Goiás.

O Congresso reuniu cerca de 4 mil estudiosos do Espiritismo e simpatizantes que participaram de uma programação intensa. Além das palestras, contou com momentos de prática, exposição de livros, camisetas e diversos trabalhos manuais. Anteriormente à cada palestra, o Teatro Rio Vermelho ou o Lago Azul contavam com apresentações artísticas e culturais, as “Vivências de Amor” com apresentações de projetos sociais dos municípios goianos voltados ao atendimento fraterno, aprendizagem, caridade e ministração de preces.

Em sua palestra “O sentido existencial do amor”, Alberto Almeida fez uma análise do sentido existencial do amor voltado a fidelidade de Jesus, além de explicar sobre as quatro dimensões do amor. “O humano fica a serviço do divino. Você tem o amor ágape dentro de você. Somos caminhantes desta encarnação e é preciso fazer escolhas mais ricas,” disse Almeida. Para ele é preciso descongelar o coração das defesas e somos obrigados a rever nossos padrões de comportamento procurando recursos saudáveis e o equilíbrio na maneira de amar. A palestrante Ana Tereza Camasmie, de forma suave abordou sobre o processo de cura, a tarefa de cumprir o mandamento de Jesus, o reconhecimento de estarmos adoecidos e que o amor é crescer na experiência amorosa.

Na ocasião de sua palestra intitulada “O amor em busca de si mesmo”, Ana Tereza, disse que é necessário identificar a figura do peregrino. “A ferida é parte do amadurecimento. É preciso reconhecer que há dor no coração. Não conseguimos enxergar Deus nas nossas adversidades. Mas de forma positiva podemos olhar nossas necessidades afetivas e as defesas,” citou. Simão Pedro ressaltou sobre sermos semelhanças do amor na sua palestra “O Cristo Redivivo no exercício do amor”. “Somos amores em potencial desenvolvimento. Criados à imagem e semelhança de Deus,” destacou.

Foto: Feego Goiás.

Ele abordou ainda os quatro tipos de amores e quando dizemos “meu amor”, certamente ele é direcionado a alguém, confuso com sentido de posse e conquista. “O amor de pai e mãe é amplo, muito maior que o amor Eros. E por mais que seja amplo, é limitado,” complementa. Sérgio Lopes ficou com a palestra “O Amor nos diversos territórios da alma”. “Para o Espiritismo, Jesus é modelo e guia,” disse. Lopes citou ainda sobre desapego, flexibilização e que é preciso pensar as parábolas de Jesus e ver algo novo.

Amor, dor, novos olhares

Como um dos palestrantes mais jovens, Artur Valadares frisou sobre “Amor sob a ótica do ser, do destino e da dor”. “Só pelo amor conseguimos transcender. O amor é o centro que confere eternidade ao que fazemos. Nós amamos porque primeiramente Ele nos amou,” ressalta. O palestrante Roosevelt Tiago, de maneira assertiva e divertida levou o público aos sorrisos e prantos com explicações sobre “Amor: a centelha divina”. Para ele é importante discutir a temática do amor. “Refletir sobre o amor é essencial. Temos que sair daqui e levar algo de prático e real para nossas vidas. O DNA de Deus está dentro de todos nós,” frisou. Tiago alertou sobre a leitura dos livros básicos de Allan Kardec para compreensão da doutrina, sobre a presença da capacidade de amar e o quanto a caridade precisa ser vista em seu sentido amplo dando exemplos de ações dentro do Centro Espírita e como o evangelho não deve ser vivido de forma superficial.

Foto: Feego Goiás.

Uma das mais renomadas mulheres e palestrantes espíritas, Eulália Bueno abordou sobre “A plenitude do amor” contando histórias do amor materno. “Como falar de amor sem citar as mães?” questionou ela. Em sua apresentação foi grata a todos que se envolveram pela realização do evento, a confiança que a espiritualidade oferece, o crescimento pela experienciação, sobre as quatro leis e o processo evolutivo. “Sair de nós e aprender com o outro. O amor ao outro é um reflexo de mim mesmo,” concluiu.

O juiz de Direito do Estado de Minas Gerais, expositor espírita no Brasil e exterior, Haroldo Dutra Dias fechou com chave de ouro o segundo momento de palestras da segunda-feira, 24. “Temos que tratar o amor como identificação individual e interior. A fonte de amor universal vem do criador. Você não controla ou quantifica o amor de Deus. O amor de Deus nos envolve,” ressaltou. Houve ainda palestras abertas ao público, noite artística com musical e painéis integrados no último dia com os palestrantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here