Casarões restaurados trazem história, exposições, livrarias, cafés especiais, ótima gastronomia e doces deliciosos

Amo conhecer locais que unem história, gastronomia e cultura. Redescobrir um pouco mais sobre a cidade de São Paulo, por meio de seus casarões tem sido um presente para mim.

E ultimamente tenho visitado alguns desses casarões restaurados que trazem uma São Paulo mais “antiga” que flerta com o contemporâneo, e conheci muitas descobertas gastronômicas, exposições incríveis e fizemos uma lista para vocês aproveitarem.

Cakess

A Cakess instalada em um casarão de dois andares, lindo e restaurado na Av. Angélica.

Gabi, advogada que sempre foi apaixonada por confeitaria  e arranjava um tempo para se dedicar à sua grande paixão, desenvolvendo e aprimorando técnicas e receitas. Logo convenceu o Leandro, seu noivo a se tornar sócio de um sonho, fizeram muitos cursos de confeitaria para aprimorarem ainda mais seus conhecimentos, assim ele também se tornou um apaixonado pela confeitaria.

E em 2015, após o sucesso de um bolo feito para amigos, nasceu a Cakess.

Aos poucos foram criando receitas mais autorais ainda e montando seu delicioso portfólio. As encomendas começaram a aumentar e o boca a boca transformou o hobby em uma empresa.
O espaço é lindo, com ar condicionado, wi fi, a casa tem dois andares com decoração delicada e moderna, muitos bolos, doces maravilhosos, bebidas quentes e geladas. A equipe é super atenciosa, os donos são uns fofos. Desde sua inauguração, já fui duas vezes e nas duas, pedi o Red Velvet (um dos meus bolos preferidos) e o Bolo de Coco Gelado, ambos deliciosos.

A Cakess  é 100% artesanal, com matéria prima de primeira qualidade e utiliza todas as receitas criadas em seu próprio Ateliê.

Balanço para as crianças
Espaço aconchegante no andar superior
Bolo de Brigadeiro ao Leite com Topping de Frutas Vermelhas
Créditos  Ana Schad
Cheesecake tradicional com coulis de frutas vermelhas da casa
Créditos  Ana Schad
Bolo Gelado de Coco e Bolo Red Velvet

Mobilidade descer na estação Paulista linha amarela do metrô e uma caminhada até lá, uber, táxi ou bike.

Cakess
Av. Angélica, 2285, Santa Cecília, SP

Horário de Funcionamento
Segundas 12h às 19h
Terça a Sexta das 11h às 19h
Sábado das 11h às 18h
Domingo Fechado
Os horários podem sofrer alterações favor confirmar no perfil
Instagram @cakess

Gula Gula

Criado no Leblon por Fernando de Lamare,  o Gula Gula é tradicional no Rio de Janeiro, o restaurante tem onze unidade e existe desde 1984.

Em São Paulo, o restaurante se instalou em um casarão centenário de 1911 tombado e que dizem ter pertencido ao Barão de Bocaina (1856-1938). Historiadores acham mais provável que o proprietário tenha sido Francisco de Paula Vicente de Azevedo, filho de mesmo nome do último homem a ter um título de nobreza no Brasil.

Com decoração praiana em tons de azul e branco que mescla com art nouveau, as mesas são cercadas de árvores de mata nativa, varanda no segundo andar, horta própria no telhado, onde o chef pode utilizar todos temperos bem frescos para criação de seus pratos. No andar inferior fica o bar e as mesas para café da manhã; e no superior, o restaurante. Todas as luminárias são feitas aqui e com material Kattan, importado da Indonésia. E as luminárias realmente impressionam com sua beleza.
O projeto tem  arquitetura assinada por André Vainer, decoração de Fernanda Pessoa de Queiroz e parte da iluminação de Maneco Quinderé.

Já o restaurante trouxe para São Paulo uma culinária de tradição, afetiva e com um cardápio desenvolvido por Carolina Figueiredo, mais conhecida como Cocó, e é parecido com o da capital fluminense.

Em minhas visitas ao Gula Gula, provei o tostex de queijo minas servido no pão de tapioca com queijo gran formaggio, queijo minas padrão e copinho com requeijão, depois um mix de pastéis, para a salada pedi a que tinha frutas no balsâmico, mel, mix de folhas, ervas, crocante de sementes e lascas de parmesão e o doce, foi o delicioso petit gateau de doce de leite.

Espaço ao ar livre com mata nativa
Área externa do amplo jardim e com espécies da Mata Atlântica como pau-brasil, figueira, jabuticabeira e palmeira imperial

E no hall principal do restaurante fica a loja Lá em Casa da arquiteta Fernanda Queiroz que também assinou a decoração do Gula Gula, a loja vende utensílios domésticos e objetos lindos para decorar sua casa
Luminárias que ficam no salão maior
Vista da varanda
Horta que fica no telhado
Mix de Pastéis
Tostex de Queijo Minas
Petit Gateau de Doce de Leite
Salada frutas no balsâmico e mel – Mix de folhas, ervas, crocantes de sementes e lascas de parmesão

Mobilidade descer na estação Consolação, linha amarela do metrô e uma caminhada deliciosa passando por dentro do conjunto nacional, patinete, bike, uber ou táxi. Se for de carro indico parar no estacionamento do conjunto nacional.

Gula Gula
Rua Padre João Manuel, 109 – Cerqueira César, São Paulo
Horário de Funcionamento
Segunda, Terça, Quarta, Quinta, Sexta, Domingo das 08h às 23h Sexta e Sábado das 08h às 00h
Os horários podem sofrer alterações favor confirmar no perfil
Instagram @gulagularestaurante

Paço das Artes

Inaugurada em Janeiro deste ano no casarão Nhonhô Magalhães, o Paço das Artes, agora tem sede própria.

No casarão onde foi instalado é uma mansão dos anos 1930, inspirada nos palacetes franceses do século 19 e tombada pelo Condephaat, e fica situado em Higienópolis, na região central de São Paulo.

O local passou por reforma assinada pelo arquiteto Álvaro Razuk. E em sua abertura, inaugurou também a exposição inédita “Limiares”, da artista Regina Silveira, que seguirá até 10 de maio de 2020 e com entrada gratuita.

Essa mostra que está em cartaz tem curadoria de Priscila Arantes, diretora da instituição, e conta com obras inéditas como no caso de “Dobra” e “Cascata”.

Na obra “Dobra” a artista faz um resgate dos trabalhos que subvertem o sistema de perspectiva que realiza desde os anos 1980. No caso, ela usa um banco de jardim na área externa do Paço, a partir de um certo ponto de observação.

O trabalho “Cascata”, ela apresentará a reprodução múltipla das janelas originais do prédio do novo imóvel onde o Paço das Artes está abrigado.

As videoinstalações “Limiar” e “Lunar”, além de integrarem a exposição, serão doadas ao Paço das Artes para inaugurar seu acervo.

E para comer indico alguns locais do shopping Pátio Higienópolis, a Talchá que é maravilhosa para chás, e você pode pedir também o pão de queijo com mandioquinha ou o bolo de banana com doce de leite, e o chá recomendo o  doce amêndoa que é um dos melhores chás que já tomei na vida, super aromático, delicado e a cor é linda.

Também tem o Le Jazz Brasserie que abriu o ano passado e o La Guapa para empanadas que fica dentro da Livraria da Vila. Todos ficam no mesmo andar ao lado um do outro e o tanto o Le jazz como o Talchá tem vista para o casarão.

O museu ocupa a área da antiga garagem. E o restante do casarão pertence ao shopping Higienópolis e conta com uma área que será usada para aluguel de eventos, além de um anfiteatro.
 Obra de arte na parte externa também
Essa mostra que está em cartaz tem curadoria de Priscila Arantes, diretora da instituição, e conta com obras inéditas como no caso de “Dobra” e “Cascata”.
Vídeoinstalações Limiar e Lunar

Mobilidade descer na estação Higienópolis Mackenzie linha amarela do metrô e uma deliciosa caminhada pelo bairro até o shopping ou patinete, bike, uber ou táxi, se for de carro parar no shopping Higienópolis.

Paço das Artes
Rua Albuquerque Lins, 1331, Higienópolis, São Paulo
Horário de Funcionamento
Terça à Sábado das 10h às 20h
Domingos de Feriados das 12h às 18h
Segunda Fechado
Os horários podem sofrer alterações favor confirmar no perfil
Instagram @pacodasartes

Casarão do Café 

E São Paulo terá um museu voltado para ciência, tecnologia e inovação instalado no Casarão do Café, localizado na Avenida Paulista, com previsão de inauguração para 2022.

O Casarão do Café foi cedido pela CNI para o projeto pelo período de 35 anos, enquanto o investimento será realizado por meio do Serviço Social da Indústria (Sesi). De acordo com o anúncio oficial, a reforma preservará as características históricas do local, mas terá a construção de um anexo. O museu contará com um espaço de, no total, cinco mil metros quadrados.

Até o momento, o futuro museu, inspirado no museu norte-americano Exploratorium, não tem um nome definido. Valores do investimento tampouco foram divulgados, mas houve a confirmação de órgãos de preservação de prédios históricos para a reforma que vai constituir o espaço interativo.


Zel Café 

Sou apaixonada pelo Zel Café, fizemos várias fotos para o blog com a fotógrafa e designer Julay Barretti o local inspira criatividade e traz muita paz.

Fica em um casarão típico paulistano dos anos 30, totalmente restaurado, rodeado por passarelas, um jardim, muitas árvores e plantas. No casarão também está a Livraria do Comendador, que faz parte do complexo de serviços.

E Laurinho Megale é o Comendador, um criador do Mangalarga Marchador. Participa ativamente da criação e dos eventos da raça e coleciona premiações e reconhecimento. Na Fazenda Talismã, em Ouro Fino (MG), onde está o Haras Zel, e Laurinho descobriu uma nova emoção com a lavoura de café. E criou a sua própria marca e o Zel Café. O Comendador, com sua família, dedica sua incansável energia a suas paixões: cavalos e o café.
E Carol Megale faz toda a comunicação do Zel Café. Do café é degustadora e assídua companheira, registrando em fotos e stories tudo o que acontece na hashtag que criou para a marca #danossafazendaparavocê.
E na livraria podemos encontrar temas que estão ligados ao lugar: o café, a gastronomia, os cavalos, a ciência e a física. “A princípio, o mix foi pensado em duas paixões do investidor: o café e o cavalo; além de contemplar livros da área acadêmica, pensada no instituto de física presente no local, bem como o futuro planetário ainda não inaugurado.
No mais, há uma seção infantil, best-sellers, literatura de interesse geral, biografias, ficção e não-ficção, artes e arquitetura, HQs, revistas importadas e nacionais”, explica Talita informando que na Comendador terá ainda produtos de papelaria, placas e ímãs decorativos e acessórios para presentes. O Zel Café é um espaço harmonioso, descontraído para relaxar, conversar, ler um livro e degustando os cafés e a deliciosa gastronomia.
Área verde para relaxar, ler e tomar um delicioso café

O delicioso café do Zel e sempre com pão de queijo, claro
Créditos @julay.barretti
Mobilidade descer na estação Trianon linha verde do metrô, uma boa caminhada, bike, uber ou táxi.
Zel Café
Rua Pamplona, 145 Casarão Zel Café
Horário de Funcionamento
Segunda a Sábado das 10h às 20h30
Domingo Fechado
Os horários podem sofrer alterações favor confirmar no perfil
Instagram @zel.cafe