Consumidos pela ideia de se sentir bem!

Há 30 anos eu usava calça jeans rasgada nos joelhos, em forma de protesto contra a igreja! Que se ajoelha! Assim como os coturnos militares, proibidos ao uso civil, mas era também outro protesto! Contra os exércitos! Contra as guerras! Lembro-me até de uma frase de efeito:

“Desarmem exércitos e alimentem os povos”!

Mas eles continuam lutando, enquanto seu povo passa fome, hoje já não uso mais minhas calças velhas e marginalizadas na época e nem aquele famoso coturno com chulé!

Mas ao mesmo tempo que mudei, deixei de ver sentido naquilo, a moda trouxe as calças rasgadas dos punks, a vida, por todo lado se vê! Um monte de maltrapilhos! Que pagam caro para ter uma calça rasgada!? As vezes até mais caras que as calças inteiras!

Me lembro que as maiores empresas vendiam seus itens com sua marca bem discreta, era para não se misturar aos espalhafatosos! Hoje as propagandas são maiores, e o próprio cliente faz a propaganda, e paga caro por isso! Quanto maior o emblema da marca na roupa, melhor!

Um pensador uma vez disse para não julgar o livro pela capa! Pois o conteúdo poderia surpreender! Creio que foi Artur C Martins.

Mas dependendo da capa, por dentro vejo apenas robôs! Consumidos pela ideia de se sentir bem! Vejo apenas as figuras repetidas, mesmo que mudem de cores, de tamanho ou de fé, sem conteúdo!

Dentro de uma transformação, mas sem uma metanoia constante! Buscando apenas superficialidade sem tentar alcançar uma profundidade!

Frases feitas, piadas prontas, ovos para serem pisados! Sem quebrá-los!

Tudo ficou tão raso, tão igual, tão bobo! Sem motivos! Ou com motivos sem sentido! Mesmo que faça sentido! Apenas passageiro! Como a moda! Sem alcançar o fundo, sem chegar perto de ser profundo! Sem nunca ter trocado idéias com quem jamais faria parte de seu mundo! Ou pior: Jamais ter respeito por quem seja diferente de você!

Não existe mais espaço para conversas racionais sem limites! Sem acepções!

Todas as rodas, todas as tribos, todos os rotulados, se limitaram as suas próprias opiniões ou pior! Se limitam a terem lideres que falem por eles! Se calaram para o infinito! Deixam de buscar o saber, deixam de questionar, deixam de querer ter sabedoria!

Classificaram tudo! Como bom ou ruim! Do nosso grupo ou que fique longe de nós!

Observo a rapidez em se manter distante da realidade, mas não vejo a rapidez em querer entender que a mudança da realidade depende também de quem se esconde na limitação da superficialidade!

Tudo pode passar rápido, assim como a vida passa rápido, mas sua atitude de acordar para o entendimento de que sua bolha é imaginaria, e que dentro da profundidade que é a realidade! Que você possa transformar, você possa ser a própria evolução eternizada em ação!

Onde o se sentir bem não vem da roupa rasgada a preço de roupa inteira, ou da propaganda que você paga pra fazer grandes e milionárias empresas! Nem da tatuagem de alguém!

Parafraseando Cortella:

“A família sai de casa para ir
a um restaurante comer comida caseira”!

Quando você passar a entender que a nossa única função real é amar, nossa única atividade natural é amar! Onde todo o resto é escravidão! Todo o resto se torna uma idolatria!

Quem ama! Serve, cuida, alimenta, se preocupa, senta no banco da igreja, na sala de jantar e na mesa do bar, não diferencia, não vê o mal pois se torna a luz que repele a escuridão, onde quer que esteja! Não julga, condena ou castiga! Não proíbe! Não se torna um líder, nem deseja ser liderado!

Quem ama não finge ser! Quando se ama o tempo para! Mesmo que passe tão rápido!

Quem ama entende a liberdade que foi dada! Não precisa das leis que controla os que não têm benevolência! Quem ama, não é obrigado a nada! Quem emana o amor que lhe foi concedido é livre! É leve! É solto! Sem propaganda! Tipo Jesus de Nazaré! Excluído!

Seja um! Em um Milhão!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here