Dentro de uma realidade cruel

É assim que estou vendo, de longe, o meu Brasil, padecer!

Não sou ingênuo ao ponto de achar que todos estão sofrendo tanto, mas muitos estão!

Sei que tem gente que ainda está lucrando, sei até de gente que está lucrando com a miséria do outro! A maldade politica, a maldade do rico, a malignidade da igreja!

Os donos do Brasil estão matando o povo, sem nem perguntar seus nomes! Sem se importar com quem são! De onde vem, ou com quem vai cuidar dos que ficam!

Cada um por si! Que triste isso!

Calados perante a morte dos seus! Seja por uma doença, seja pela criminalidade, seja pela fome!

Sei que tem gente que se levanta todos os dias em prol dos que carecem de cuidados! Sei que são muitos, mas são poucos pela proporção da rapidez que a morte anda!

Sei dos que defendem mulheres em vulnerabilidade, crianças, e moradores de rua! Sei que tem gente que faz caridade! Sei também de gente que divide o pão que tem!

Mas hoje não quero falar do que Jesus faria!

Hoje falo do horror de viver, dentro de um filme.

Pensava que tinha visto terror na TV! Aí cresci, vi coisas horríveis! Vi coisas boas, mas conheci o terror real!

Vi ganância, arrogância! Vi fome! Senti fome! Nunca comi caviar, mas já sentei na mesa de gente rica! Não vi divisão! Até vi caridade! Mas divisão não!

Nunca andei com criminosos! Mas conheci filhos de gente rica que já cometeu crimes! Perante a lei dos homens e muito maiores contra as leis de Deus! Mas vi a culpa cair sobre quem fuma maconha!

Vi o álcool destruir famílias, assim como vi o vício em drogas pesadas transformar uma pessoa!

Conheci gente que sofreu abuso quando eram criança! Ouvi histórias que pais abusaram de suas próprias filhas! Espero não ter conhecido nenhum pai assim!

Já cruzei o caminho de homem que bate em mulher, assim como já vi mulher defender homem violento! Já vi até culpar a vítima de seu próprio estupro!

Já ouvi piada com gordo, negro, gay, anão, Ouvi e vi humorista fazer piada de cunho sexual com um bebê ainda na barriga da mãe! Vi índio ser confundido com “um mendigo”, para uns playboys da capital colocarem fogo!

São tantas as histórias de garotos e garotas que se mataram por não poder ser quem eram! Vi suicídio!

Venho vendo a maldade se tornar normal a cada dia!

Ouvi dizer que um homem pra não pagar pensão, matou a ex e deu a carne dela pra cachorro comer!

Vejo muita maldade! Sei da mísera, da violência policial, do racismo estrutural, da cultura do estupro!

Sei do genocídio brasileiro! Contra pobres, negros, pobres negros, gays, pobres negros gays! Contra mulheres, contra crianças! Do descaso do chefe de Estado! Do descaso e da sua ignorância! Do descaso, da sua ignorância e da sua perversidade, crueldade, dele e dos seus apoiadores! Dos cúmplices!

Não estou colocando culpas, nem julgando condutas, muito menos incitando a justiça injusta dos homens! Mas quando vejo o mal, enxergo a luz que habita muitos! Vejo boas novas!

Pois é na desgraça que olhamos pra cima! É na tristeza que fortalecemos a esperança!

Eu conheço gente da elite que não se importa, aqueles que acreditam na meritocracia, com o esforço de seus pais! Os filhos… Mas também conheço quem venceu por mérito próprio, quando saiu da fome, e hoje trabalha para ter o que comer, sem o dinheiro de seus pais!

O terror eu vejo no conforto do rico! Misericórdia eu vejo na sopa do pobre, sinto esperança na fé em Deus! No Deus do pobre! Que garante o pão do dia!

O Deus do rico eu vejo tudo! Menos amor! Só terror! Porque ter e saber que existe quem não tem e não fazer nada, é a mostra da cumplicidade do diabo, em roubar, matar e destruir!

Hoje eu não queria falar do evangelho de Jesus, mas conheço até quem usa o evangelho que Jesus pregou, o do Reino. Para aprisionar pessoas! Já vi usarem textos bíblicos pra tomar dinheiro de gente humilde! Já vi citarem Deus para fazer a morte acontecer!

Acho que é um terror diferente! O terror que vivemos faria o Jason Voorhees ter medo! Nem ele com seu facão trazia tanta dor em seus filmes, quanto a indiferença de um povo contra seu próprio povo! Parece que todos os dias são sextas feiras 13.

O que eu vejo é misticismo! É barganha e corrupção! Ódio…

Dos filmes eu não tenho medo, eu temo a realidade! A conformidade! Também não temo bruxas, mas corro de quem frequenta as praças onde elas são queimadas!