Dezembro vermelho na luta contra o HIV

Dezembro chegou e com ele as atenções se voltam para a Campanha Nacional de Prevenção ao HIV/Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis. Denominado como dezembro vermelho, a lei institui que ela tenha como foco a prevenção, assistência, proteção e promoção dos direitos humanos das pessoas que vivem com HIV/Aids. Não é somente o coronavírus por estar em pauta que nos demanda cuidados. Temos a dengue e, hoje, 01/12, os olhares voltados para o Dia Mundial de Luta contra a Aids.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, ter HIV não é a mesma coisa que ter Aids, já que muitos soropositivos vivem anos sem apresentar sintomas e desenvolver a doença. Mas claro, podem transmitir o vírus para outras pessoas pelas relações sexuais desprotegidas, compartilhamentos de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e amamentação. Lembrando que é sempre bom se proteger e tomar os devidos cuidados.

 

Prevenção

 

Para se prevenir, tanto o preservativo masculino quanto feminino encontram-se em toda a rede pública do País. Dúvidas, você pode ligar para o Disque Saúde – 136 para retirar o preservativo.

 

O diretor regional do UNAIDS para a América Latina e o Caribe, César Núñez, ressalta que “é a força das comunidades, inspirada por uma responsabilidade compartilhada entre todos, que têm contribuído muito para as vitórias sobre o HIV”.

 

Ele convida a todos para se solidarizar com as pessoas que precisam de apoio. “Vamos usar sabiamente este movimento como nossa inspiração para podermos seguir em frente e não deixar ninguém para trás, como parte dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 2030.

 

 

Documentário

 

No final do ano passado, a Netflix disponibilizou o acesso ao documentário “Carta para além dos muros” que conta a trajetória da epidemia, os preconceitos e ignorância das pessoas.

 

Dirigido por André Canto, o documentário já passou em 13 capitais do Brasil em cinemas antes da pandemia e a restrição dos acessos. Para que as pessoas sejam conscientizadas sobre o alerta de prevenção ao HIV e à Aids são necessárias ações de conhecimento e participação.

 

Ações

 

A Secretaria de Vigilância em Saúde – SVS e a UNAIDS estão juntas no fortalecimento na luta contra o HIV. Em outubro deste ano, o diretor do Departamento de Doenças Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DCCI/SVS), Gerson Pereira destacou que o programa de HIV do Brasil é grandioso e que cerca de 700 mil pessoas estão em tratamento.

 

A nova diretora do UNAIDS, Claudia Velasquez, inclusive, disse que conta com a parceria brasileira no compartilhamento de experiências e revisão da estratégia global do UNAIDS para acontecer de 2021 a 2026. Os (as) interessados (as) podem começar a se mobilizar na comunidade engajadas para reverter a epidemia. Conheça a lista de atividades: https://unaids.org.br/atue-em-sua-comunidade/.

 

 

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here