Documentário sobre dom Paulo Evaristo Arns estreia num festival em Portugal

Divulgação

Coragem! As muitas vidas de dom Paulo Evaristo Arns aborda ação do cardeal no período da ditadura militar. José Afonso – Festival Balada do Outono, inicia no dia 5 de outubro

Dom Paulo Evaristo Arns (1921-1986), o mítico cardeal de S. Paulo que combateu muito corajosamente a ditadura militar brasileira (1964-1985), vai ser homenageado em Portugal, no grande auditório da Escola Secundária de Felgueiras, distrito do Porto, com estreia naquele país e fora do Brasil do documentário Coragem! As muitas vidas do cardeal dom Paulo Evaristo Arns, dirigido por Ricardo Carvalho, na quinta sessão cultural do evento José Afonso – Festival Balada do Outono.

Nessa sessão, será feita apresentação do livro dom Paulo Evaristo Arns – Um homem amado e perseguido, de Evanize Sydom e Marilda Ferri.

A abertura do festival ocorrerá no dia 5 de outubro e a homenagem a dom Paulo acontecerá no dia 23 de novembro. O festival é organizado pelo movimento cultural Tertúlias Itinerantes (sem fins lucrativos e com entrada livre) fundado por José Carlos Pereira (escritor e jornalista) e do qual também fazem parte Lília de Castro e Costa (arquiteta), Gonçalo Magalhães (Ciências Sociais) e Cristiana José Rodrigues (atriz).

O historiador mais conhecido de Portugal, José Pacheco Pereira, e o bispo emérito das Forças Armadas de Portugal dom Januário Torgal Ferreira, darão uma palestra sobre a temática alusiva a Dom Paulo e à ditadura.
A iniciativa tem o apoio institucional de cerca de 20 entidades, entre as quais a Associação José Afonso e do PEN Clube Português.

Recorde-se que José Afonso (1929-1987) – mais conhecido por Zeca Afonso – é o emblemático cantor, poeta e compositor autor de canções de intervenção contra a ditadura portuguesa (1926-1974) e de Grândola Vila Morena, contrassenha do 25 de Abril de 1974, que devolveu a democracia aos portugueses. É o autor da canção Alípio de Freitas (1976), em que denuncia a prisão e a tortura do ex-padre português no Brasil homônimo do título da canção. Além das composições de resistência, Zeca Afonso é autor de belas melodias, como, por exemplo, de cancioneiros, de temas tradicionais e de temáticas amorosas.

O movimento cultural Tertúlias Itinerantes refere-se há ainda por concluir, o estudo integral sobre a tríade Galiza/Portugal/África, de que este incansável artista era portador. A organização deste festival decorre no ano em que a figura em referência já teria feito 90 anos de idade e tendo em atenção que em 2020 decorrem 60 anos depois do lançamento da canção Balada do Outono (1960), que foi um marco de viragem na história da música portuguesa.