É pra ser a vontade de Deus!

 

Quando pensamos que somos melhores que alguém, deveríamos ser chamados de Mestres da Lei!

Tipo aquele que faz sua orações dizendo: “Ó Deus, graças te dou, porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este…

Que nossas orações sejam assim: “Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador”!

E falo isso, com textos do livro sagrado, do Deus que todos tanto citam!

Não somos melhores que “eles”! Assim como ninguém é melhor que ninguém! Não por sermos diferentes, com ideias ou convicções opostas!

Somos todos frutos do mesmo mundo, que é injusto! Dentro das injustiças e desigualdade social, somos semelhantes ao todo, corpo, alma e espirito! Que sendo condicionados a ser quem são, quem somos, não seríamos iguais? Nossa semelhança é a vida!

Que não haja comparações! Mas que haja verdade no amor sentido por nós, a eles!

Que a diferença venha do fruto que nasce em nós através do Espírito Santo de Deus! E que não se confunda Deus, com tantos outros deuses! De tantas outras doutrinas, ideologias e credos!

Que exista diferença, diferença que separa, mas não exclui, não amaldiçoa, que não sente ódio! Que não venha do preconceito, ou pelo poder econômico!

Que se for pra ser diferenciado, que sejamos os que dão a outra face, que não tenhamos em nós a mesma raiva que consome os que deveríamos amar ao invés de odiar!

Quando orar, que seja sobre o seu próprio arrependimento! E que seja sempre para abençoar, os amigos! E os que nós amaldiçoam também!

Até quando ficaremos inertes? E não falo de esquerda e direita, de politica, ou luta social, falo entre ser do bem, e ser do mal, a escolha é entre: Emanar de você, a bondade ou a malignidade? A quantidade de luz, deve ser grande para iluminar a escuridão! E onde existe luz, podemos enxergar, na escuridão somos cegos!

É na paz, que a clareza vem, é na calmaria que alcançamos o equilíbrio!

Tentar entender o que não é pra ser compreendido! Ou pior! Tentar explicar o que não é pra ser ensinado, nem doutrinado!

É pra enxergar o invisível!

Ideologias! Uma prisão! Transformar a ideia em um conjunto do que se deve ou não fazer, agir, reagir ou falar! Se podemos ou não! A divisão social do que é o certo e do que é o errado! Tão semelhante a religião! Fora da realidade! Dentro da caixa! Dentro da “bolha”, a complexidade de Tudo! Dentro de nosso entendimento! Próprio…

Quem sou eu? Quem somos nós? Se não somos para o outro, o que somos pra nós mesmos!?

Se limitar a uma doutrina, uma ideologia ou “religião”, ser o bom samaritano!

Ser provido de misericórdia! Passar por caminhos onde teremos que ser cheios de compaixão!

É pra exercitar a piedade! E do alto não dá pra fazer isso!
É a virtude de quem conhece Deus! É a justiça do Reino de Deus!
É assumir a responsabilidade de ser filho de Deus!

Não é pra ser Deus acima de todos? Qual deus? O do tal livro sagrado?

É pra cuidar de nossos pequeninos irmãos, estejam eles com fome, sede, pelados, bêbados, drogados, se prostituindo, indo a manifestações politicas, que sejam estrangeiros ou criminosos perante a lei dos homens! Estejam eles vivos, ou doentes, cegos com a escuridão alimentada pela raiva ou pelo medo!

E do alto não dá pra fazer isso! Nem através das ideologias, nem dos templos e muito menos através do sistema político democrático!

Não é pra transferir a responsabilidade, não é pra ficar indignado! É pra ser misericordioso! Pra ter piedade! Pra ter a coragem de cuidar do próximo!

Não é pra sentir raiva! É pra orar por eles! Não é pra você chamá-los de hipócritas, você não é a diferente deles, sejam os psicopatas de cada lado do tabuleiro! É pra sair do jogo de cartas marcadas, e é pra abençoar!

Eles do alto não enxergam o invisível, nem os ricos, nem os intelectuais, do alto da soberba, por achar que se tem algo a mais do que o outro além da vida! Que tenha um mais dinheiro e o outro ter lido mais livros, com orgulho todo o conceito de existência se perde! Ame-os!

Pois a responsabilidade é minha, sua, nossa, de cuidar do próximo! A responsabilidade é de quem vê, de quem sente compaixão, piedade e amor!

Quer ser diferente? Largue as armas e se renda! Deixa fluir…