Enfermagem, o que você precisa saber sobre!

Sem Enfermagem não existe saúde! A queridinha do momento…

O título já é bem sugestivo não é mesmo?

Pois é…

Se fala muito de vários outros profissionais que apresentam muito “status” por ai e se esquecem desta profissão que tanto faz por todas as pessoas, sempre presente desde o nascimento até a morte, afinal que nunca teve contato com um profissional da equipe de enfermagem? No entanto, as pessoas não fazem muita questão de conhecer quem são esses profissionais tão importantes quanto qualquer outro, em relação à Enfermagem ainda paira um desconhecimento a cerca do que esses profissionais realmente fazem e quem realmente são, vemos muitos comentários sobre o nível médio ser chamado pelo nível superior, você sabe que quem cursa graduação em Enfermagem é chamado de Enfermeiro? E que os níveis médios são Técnicos em Enfermagem e Auxiliares de Enfermagem? Pois é muitas pessoas se referem erroneamente a estes profissionais, pois todos generaliza-se o nome de Enfermeiros para todos, mas temos muitas diferenças entre estes profissionais começando pelo nome e também pelas atribuições.

Agora durante a pandemia todos puderam perceber a importância deste profissional, pois em relação a todas as ações de saúde adivinhem quem está lá sempre? Em todos os momentos. Sim a equipe de enfermagem, não sai do seu lado em nenhum minuto se quer.

Enfim quem são essas pessoas?

O que fazem?

A Enfermagem é uma profissão que existe 2 níveis de formação, o nível médio e o superior, onde cada área de formação possui suas funções específicas, prevalecendo a supervisão/coordenação do nível superior em relação ao nível médio, esses profissionais de maneira nenhuma são subordinados a outros profissionais de saúde que não tem formação superior em enfermagem, tal prática por outros profissionais caracteriza exercício ilegal de profissão, passível de processo judicial. O nível médio não pode atuar como superior e nem o superior pode atuar como nível médio, sem  a devida formação caracterizando também exercício ilegal de profissão, por isso a importância de saber falar corretamente a formação de dada uma pois as atribuições profissionais são diferentes.

São a maioria dentro das classes de profissionais de saúde, pois desempenham a função do cuidado e mesmo que a pessoa não esteja doente, ela precisa deste profissional, como exemplo nas ações promoção e proteção da saúde, em todos os assuntos relacionados à saúde encontramos estes profissionais.

Possuem uma ampla qualificação, entendendo de vários assuntos e atuando também em várias áreas. Estudam muito para adquirirem conhecimentos técnicos-científicos para desenvolverem suas práticas a fim de promover qualidade de vida, conforto e recuperação adequados a cada paciente/pessoa.

Com a presença deste profissional a preservação e recuperação da saúde teve um marco, pois foram eles que desenvolveram várias técnicas que até hoje são usadas com grande retorno para manutenção e recuperação da saúde, como a lavagem das mãos, tão utilizada atualmente.

Estão presentes em todos os lugares:

  1. Aeroespacial
  2. Assistência ao Adolescente
  3. Atendimento Pré-Hospitalar
  4. Banco de Leite Humano
  5. Cardiovascular
  6. Central de Material
  7. Centro Cirúrgico
  8. Clínica Cirúrgica
  9. Clínica Médica
  10. Dermatologia
  11. Diagnóstico por Imagem
  12. Doenças Infecciosas
  13. Educação em Enfermagem
  14. Emergência
  15. Endocrinologia Esterilização
  16. Endoscopia
  17. Estomaterapia
  18. Ética e Bioética
  19. Gerenciamento de Serviços de Saúde
  20. Gerontologia e Geriatria
  21. Ginecologia
  22. Hemo dinâmica
  23. Homecare
  24. Infecção Hospitalar
  25. Informática
  26. Nefrologia
  27. Neonatologia
  28. Nutrição Parenteral
  29. Obstetrícia
  30. Oftalmologia Naturais/Tradicionais
  31. Oncologia
  32. Otorrinolaringologia
  33. Pediatria
  34. Perícia e Auditoria
  35. Psiquiatria e Saúde Mental
  36. Saúde Coletiva
  37. Saúde da Família
  38. Sexologia Humana
  39. Trabalho
  40. Traumato-Ortopedia
  41. Terapia Intensiva
  42. Terapias e Complementares
  43. Enfermagem Forense

Na saúde pública, o enfermeiro é o coordenador da maioria dos programas do Ministério da Saúde. Nesse âmbito, de promoção e prevenção da saúde, o enfermeiro exerce responsabilidade de educar a população para mudar seu estilo de vida individual e em comunidade para melhoria da qualidade de vida.

Diante dessa abrangente importância, entendo a enfermagem como a norteadora de um processo de cuidado consistente e organizado. Entendo, ainda, a enfermagem como protagonista do sistema de saúde.

O ano de 2020 foi escolhido pela OMS (Organização Mundial da Saúde) para ser o ano internacional da Enfermagem, com o propósito de evidenciar a importância da profissão. De fato, 2020 tem sido um ano onde os profissionais da saúde e da ciência têm sido reconhecidos por sua aguerrida luta para vender a pandemia de Covid-19.

Ainda, a campanha Nursing Now Global, lançada em 2019 para este ano, foi prolongada até junho de 2021. Dessa forma, ações que promovem o fortalecimento da educação e do desenvolvimento dos profissionais de enfermagem, a disseminação de práticas efetivas, inovadoras e com base científica, seguirão sendo evidenciadas e fomentadas em âmbito internacional.

No sistema de saúde, os enfermeiros são aqueles que estão presentes em todas as etapas de um tratamento. Muitas vezes também, o enfermeiro acompanha o paciente, fora do ambiente hospitalar, podendo prestar atendimento e suporte no ambiente de casa. Além do contato direto com enfermos, esses profissionais também fazem a “ponte de comunicação” entre outros membros da equipe hospitalar, como fisioterapeutas e médicos, por exemplo.

O papel do enfermeiro é de extrema importância para o funcionamento de um setor de saúde. Ele é o profissional que coordena e supervisiona as atividades dos técnicos e auxiliares. O enfermeiro está apto a atender pacientes em estado grave ou com alto grau de complexidade, podendo atuar também na gestão hospitalar, ensino e pesquisa, além das áreas de saúde coletiva, urgência e emergência, saúde do adulto, idoso, criança e adolescente.

Ainda sobre as atividades atribuídas ao enfermeiro graduado, estão: a consulta de enfermagem, prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela Instituição de Saúde a qual está vinculado profissionalmente.

“A enfermagem dentro do hospital tem um propósito específico, que é o cuidar. Mas cada vez mais a enfermagem está envolvida em um contexto maior. Hoje a gente não consegue trabalhar de forma única e exclusiva pensando apenas na enfermagem tradicional, dentro de um hospital. Os profissionais estão envolvidos em questões estratégicas, financeiras e até na logística hospitalar.”, conforme diz Roberto Lopes.

“A humanização sempre foi tocada como um assunto bastante informal. A gente ainda não tem um padrão para esse assunto dentro dos hospitais: o que é a humanização, como humanizar o cuidado, etc. O que nós temos são bons exemplos de empresas que investem mais nesse ponto de vista. Assim, a equipe de enfermagem tende a seguir o planejamento e o propósito das instituições onde estão instalados.

De qualquer maneira, a humanização é inerente a categoria da enfermagem. A enfermagem surgiu do processo do cuidar, de tratar a pessoa como ser humano, de mostrar para pessoa qual é a raiz da causa para gerar o cuidado integral do paciente. Mas ainda é um contexto bastante informal porque não existe um protocolo que diz “é assim que você deve lidar com o paciente de forma humanizada”. Cada um tem o seu jeito e a gente tem N instituições com fatores diferenciados que estão agregando valor ao cuidado durante esse processo.”

A linha de frente da assistência

Os casos mais graves acometidos pela Covid-19 necessitam de internação em Unidades de Terapia intensiva (UTI). São nesses locais, segundo a professora Elviani, que o profissional enfermeiro atua de forma efetiva, prestando uma assistência integral e qualificada para esses pacientes. Através de cuidados específicos e da sistematização da assistência de enfermagem, é possível recuperar e reabilitar esses pacientes. Porém, com a exaustiva assistência direta, os profissionais da enfermagem também aumentam a exposição ao vírus.

Só no Brasil, segundo números do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), já são profissionais mortos pelo Coronavírus, ultrapassando os números dos Estados Unidos, onde profissionais perderam a vida no enfrentamento segundo dados da National Nurses United (NNU). No mundo, já são mais de 260 mortes de profissionais, além de 90 mil infectados.

Porém, além do reconhecimento, a enfermagem também precisa de cuidados de saúde e de condições de trabalho. “Os profissionais da enfermagem não são heróis, são humanos. Nós queremos que todos esses reconhecimentos sejam revertidos em benefícios a profissão. A enfermagem precisa de melhores condições de trabalho, de dimensionamentos de enfermagem adequados, de segurança para o trabalho em saúde com equipamentos de proteção individual em quantidade e qualidade adequadas, de redução de jornada de trabalho, de salários justos a profissão e reconhecimento. Chega de desinformação por parte da sociedade.

Precisamos de valores reais e respeito!