Isso nem é algo a se discutir

Fui pensar… Não vou nem entrar em discussão sobre a criança abusada que fez o aborto, creio que isso nem é algo a se discutir! Fizeram o que tinha de ser feito!

O que deveriam estar discutindo é sobre educação sexual nas escolas! Sobre ensinar as crianças a identificarem e saberem o que é e o que não é! Nenhuma inocência será perdida com uma informação vital, mas sem a informação, não só a inocência pode ser perder! Mas a vida! Seja da criança abusada ou do feto!

 

Entre o que ainda não nasceu e a que já vive, não tem o que se discutir!

 

Mas entre anos de pedofilia escondida dentro do cristianismo! Pois não são apenas padres! São fieis de igrejas evangélicas que também estupram crianças! Dentro das casas, no anoitecer! Não existe mais religião pra quem é ruim! Ou doente! Ou louco!

 

Quando chega a noite, não são mais pais, irmãos, tios ou avôs! Não existe mais amigo da família ou bom vizinho! Existem unicamente potenciais estupradores! Homens!

 

Eu não sei o quem são, mas sei que dá pra identificar! E só a criança servirá de testemunha! Só ela vai poder te avisar do perigo que corre! Mas apenas se ela souber o que é que está acontecendo!

 

Vejo que existem pessoas que acusam a garota de 10 anos de saber o que estava fazendo e ainda outras dizem soltas pelas redes sociais que garotinha de 10 anos já sabe rebolar e provocar! Quem são estas pessoas? De todos os comentários absurdos que li contra a garotinha! Tinham apenas uma semelhança! E não era a religião e sim o presidente! Todas idolatras do que sempre foi contra educar as crianças falando sobre sexo! E usando mentiras! Mas não quero falar sobre culpa!

 

Pois também me perguntei: Será que a mãe não sabia? Pois foram 4 anos e uma gravidez! Mas isso também não posso julgar, não conheço sua história!

 

Julgar!

 

Nem o homem que fez mal a esta menina eu posso julgar! Não é o meu papel! Também não posso condená-lo! Não é o meu papel!

 

Não quero que ele seja estuprado na cadeia, mas não vou salvá-lo das conseqüências de seus atos! Não é o meu papel defende-lo!

 

Seja ele louco, doente ou apenas uma pessoa ruim!

 

Aprendi em minha caminhada, com um exemplo divino! Que devo escolher amar apenas! Seja quem for! Ainda não cheguei lá! Mas já consigo não sentir raiva ou ódio! Sinto repulsa, nojo, tristeza e quando me revolto, penso: Como tudo isso pode acontecer? E como tudo isso pode ser evitado?

 

Quero que isso não aconteça!

 

O amor, mesmo sendo a ordem do dia! Ainda é uma escolha! Até não ser mais!

 

Mas o perdão é inquestionável! O perdão para um pequeno Cristo é para ser algo ligado a sua obrigação, não deve nem ser questionado!!

 

Perdão não é passar pano, nem dar a liberdade ao outro! O perdão liberta você! Você perdoa porque eles não sabem o que fazem! Pois se fosse com eles, eles não fariam! Pois falta amor! Neles!

 

E em você? O que falta?

 

Em mim falta muito! Mas o básico já estou controlando bem! Ao entender o meu privilegio de existir, ao me sentir satisfeito com quem sou, com o que tenho e com aquilo que realmente importa! Ao sentir felicidade no desapego, ao sentir a liberdade dentro de cada escolha que posso ter! Escolhi amar mais!

 

Escolhi jamais chamar outro ser humano de lixo! Já usei milhares de adjetivos ofensivos! Mas lixo nunca! Parei de desejar sofrimento a quem quer que seja ou qualquer que seja seu crime! Entendi como não ser igual aos que desejam sangue!

 

Aprendi a não rir do ladrão que foi morto pelo PitBull, não dou risada quando lincham um estuprador nas ruas, a pedras e pauladas, não vejo graça pedir a volta dos militares que torturavam gente, não acho bonito “cristão” com raiva e desejando punições, não vou achar justo um estuprador ser estuprado na cadeia!

 

Não sou eu o dono da justiça! E nem é o meu papel!

 

Meu papel é amar! Apenas amar! E do amor vi que nasce a compaixão e o perdão!

 

Na compaixão eu entendo o quão grande sou, pois posso doar, dividir, ajudar, posso mudar outras vidas, posso cuidar das crianças!

 

No perdão eu entendo a minha pequenez!

 

Entendo meu verdadeiro tamanho! E a minha razão de ser!

 

E te digo mais! Se você se revoltou mais com o aborto do que com o estupro de um pedófilo, você tem o meu perdão!