Métodos Enriquecedores para a vida Prática meditativa um divisor de águas

A meditação é uma prática acessível, não necessita de equipamentos e você pode buscá-las de forma gratuita, por meio de aplicativos (Lojong, por exemplo, disponível na Play Store), vídeos no YouTube, grupos presenciais e virtuais, entre outros.

Além disso, a meditação pode ser realizada em poucos minutos e só precisa de um local silencioso, preferencialmente, onde você se sinta confortável. Não há limitação de idade para meditar, ela pode ser praticada por crianças, adultos e idosos.

Diversos estudos apontam os benefícios da meditação, dentre eles:

  • redução de estresse;
  • diminuição de sintomas depressivos;
  • controle da ansiedade;
  • potencialização do autoconhecimento e da autoestima,
  • desenvolvimento do foco nas atividades;
  • redução da perda da memória;
  • ampliação das emoções positivas;
  • redução de vícios;
  • melhora do sono;
  • benefícios em relação a doenças crônicas.

Entende-se pelo ato de meditar, a manutenção do foco de atenção no momento presente e desvinculação de distrações e pensamentos. A respiração é, frequentemente, utilizada como uma ferramenta meditativa. Desta forma, quanto mais focada a mente, menos perturbações e desequilíbrios afetarão o indivíduo, o que possibilita o desenvolvimento de um estado emocional e mental mais equilibrado, por meio da diminuição do sofrimento psicológico e potencialização de aspectos positivos.

A meditação apresenta inúmeros benefícios para a saúde, como reduzir a ansiedade e o estresse, melhorar a pressão arterial e aumentar a concentração. Por isso, tem sido cada vez mais praticada, já que maior parte dos exercícios podem ser realizados em qualquer lugar e em qualquer momento, sem necessidade de investir em aparelhos.

A prática de meditação deve começar com pequenos períodos de tempo, praticando 5 minutos por dia no início e aumentando o tempo progressivamente à medida que a mente se habitua ao estado de concentração.

No início, os olhos podem ficar abertos, mas devem ficar relaxados, sem focar em algo específico e sem haver distrações visuais no ambiente de meditação, como televisores, animais ou pessoas se movimentando.

Procurar centros de meditação em grupo, auxílio com professores ou iniciar a prática com vídeos de meditação guiada na internet são boas opções para ajudar a desenvolver a técnica mais facilmente.

Você medita? Não? Deveria. Os efeitos dessa prática no organismo e no comportamento humano têm sido muito estudados na atualidade, apesar de a meditação ser praticada há milênios, nas filosofias espirituais do Oriente.

Para alguns autores, a meditação é uma espécie de “treino da atenção plena à consciência do momento presente”. Estudos também consideram que, na meditação, “a interpretação dos fatos é mais importante do que os fatos em si”. Fato é que essa prática tem contribuído de forma significativa para a evolução e desenvolvimento em diversos âmbitos da vida dos praticantes.

Várias são as modalidades:Zazen, uma meditação zen-budista que estuda o self;Kinhin, praticada quando se está fazendo caminhada, concentrando a atenção nos pés ao pisar; meditação transcendental, que provém das tradições hindus e consiste em repetir um som para si, para que o foco de sua mente vá para ele. Além disso, tem-se a meditação guiada, caracterizada pela formação de imagens que acredita-se serem relaxantes; oQi Gong, prática que combina meditação, relaxamento, exercícios físicos e de restauração para manter o equilíbrio; Tai Chi, uma forma de artes marciais chinesas; a Ioga, na qual são utilizados exercícios de respiração e postura para acalmar a mente e desenvolver um corpo mais flexível, dentre várias outras.

Já a Meditação Emocional é um método de meditação em 5 passos que busca a consciência plena e o equilíbrio emocional.

Por outro lado, um artigo recente de Menezes e DellAglio ilustra os tipos de meditação, conforme a literatura científica, em dois tipos: concentrativa e mindfulness. A primeira é caracterizada pela atenção em um determinado foco, como a respiração. Já a meditação mindfulness é caracterizada pela “consciência da experiência do momento presente, com uma atitude de aceitação, em que nenhum tipo de elaboração ou julgamento é utilizado. À medida que estímulos internos ou externos atingem a consciência do praticante, este simplesmente os observa e, assim como surgiram, deixa-os sumir, sem qualquer reflexão ou ruminação” (Shapiro et al., 2005).

Meditar é como correr. Ninguém começa fazendo 30 minutos e da melhor maneira. É preciso praticar aos poucos. Comece com um minuto de meditação ou com exercícios de atenção plena, como observar a si mesmo e o ambiente em volta em pequenos momentos do dia. O exercício simples ensina a mente a ter foco no presente. Quanto mais focada a mente, mais profundo do estado de meditação.

Os mantras podem ajudar na hora da meditação. Isso porque eles ativam duas áreas cerebrais: a fala e a audição. A pessoa fica mais presente, evita a dispersão. Além disso, os mantras têm mensagens positivas e acreditar naquilo que está sendo dito faz bem à mente.

Existem cinco mantras para meditar que são utilizados há milênios. São os seguintes:

  1. É o mantra para meditar mais universal. Na verdade, calcula-se que represente o som do universo. É o som da origem, o primordial, o que abrange todos os outros sons.
  2. OM AH HUM. Ao pronunciar esse mantra se consegue limpar o lugar onde vai se realizar a meditação. Além disso, o som ajuda a aumentar a concentração.
  3. OM TARE TUTTARE. Esse mantra ajuda a concentrar a força interior. É empregado para eliminar os obstáculos internos. Também alimenta a coragem e a confiança.
  4. OM NAMAH SHIVAYA. É um mantra proveniente da cultura hindu. Pronuncia-se para convocar o bem-estar e a felicidade.
  5. OM MANI PADME HUM. Este é um dos mantras mais poderosos para meditar. Invoca a sabedoria essencial, a união com o universo.

A meditação não se resume a apenas uma técnica: são várias, diferindo na duração e no método (em silêncio, entoando mantras etc.). Essas variações, no entanto, não influenciam no resultado final, pois o efeito produzido no cérebro é parecido. Na prática, aumenta a atividade do córtex cingulado anterior (área ligada à atenção e à concentração), do córtex pré-frontal (ligado à coordenação motora) e do hipocampo (que armazena a memória). Também estimula a amígdala, que regula as emoções e, quando acionada, acelera o funcionamento do hipotálamo, responsável pela sensação de relaxamento.

Venha você também conhecer essa prática tão revolucionária em nossas vidas, hoje posso falar que após anos de prática houveram mudanças significativas em minha vida e foram para melhor…

Meditar é vida!