A mulher, desde os primórdios, sofre com questões envolvendo seu gênero. É vista como inferior aos homens e, constantemente em nossa sociedade vemos casos de violência provocada contra a mulher, desde agressões verbais a casos de tortura, e tudo isso, por elas simplesmente serem o que são. A mulher na Idade Média era totalmente desvalorizada. Eram castigadas com torturas e punições terríveis. Na Índia, o estupro por seu marido é aceito e na Grécia Antiga era muito comum o abandono de filhas mulheres, pois existia uma expressão muito utilizada, que dizia: “Todos seguram um filho, mesmo se ele for pobre, mas expõe uma filha, mesmo se ela for rica.”. Durante a escravidão. Mas mesmo com as dificuldades enfrentadas, as mulheres conquistaram seu espaço e seus direitos, como por exemplo, a Lei Maria da Penha e a Lei do Feminicídio, como tantos outros direitos conquistados. Hoje, vemos mulheres trabalhando e cada vez mais evoluindo profissionalmente e socialmente. Com base nesses fatos, resolvemos pesquisar, discutir e relatar a evolução da mulher em nossa sociedade e discutir sobre seus direitos hoje é a violência provocada contra elas.

Percebemos que a mulher moderna trabalha tanto quanto a antiga, só não temos mais paciência para aguentar marido trair, marido que não ajuda em casa, marido que não ajuda nas despesas e ficarmos de cabeça baixa. Não suportamos mais apanharmos e ficarmos caladas como se isso fizesse parte da nossa vida, como tantas que passavam por isso diuturnamente. Podemos comprar nossas jóias sem usar a que ele achou bonitas. Passamos o nosso batom para nos mostrar bonita. Compramos nosso carro para podermos deslocar tranquilas e não somente quando eles quiserem nos levar, e se não tivermos carros, vamos de táxi de ônibus e moto táxi, mas ficar em casa chorando por não ter quem nos levar já era.

O perfil da mulher moderna só precisa aprender algo, não precisamos ganhar o mundo, ele já foi conquistado. Não precisamos ficar igualando ao homem para mostrar nada, ganhe seu espaço de forma feminina, doce. Não precisa beber tanto para mostrar que pode, você pode, mas não deve. Não combina mulher falando bobagem por estar bêbada, se exibindo sensualmente após uns goles.

A família não acabou, precisamos voltar a sonhar com a nossa, não é coisa da nossa avó, é para hoje também. Podemos ter família, emprego, sonhos e sermos felizes. Não precisa se dar de forma barata para conquistar. Você consegue, talvez de forma mais lenta, porém mais honrosa.

Agora, a mulher tem mais autonomia para fazer suas atividades, sejam elas cuidar dos filhos, fazer as compras para a casa ou trabalhar. Contudo, infelizmente, ainda existe diferença entre homens e mulheres no mercado de trabalho e, muitas vezes, discriminação.

A diferença salarial e a discrepância em ocupação de cargos de chefia são fatores que ainda precisam ser trabalhados para a conquista da igualdade entre sexos.

A desigualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho, e até mesmo em casa, se encontra em vários níveis. Vai desde a distribuição de tarefas domésticas até as formas de entrada no mercado de trabalho.

Todos esses fatores fazem com que a batalha pela igualdade e pela valorização da mulher seja constante e cada vez maior. E que este 8 de março seja mais um marco e inspiração para seguirmos com força nessa luta por todos os dias do ano.

O objetivo não é competir, mas sim ter uma vida com qualidade, não é justo que uma pessoa tenha direitos diferentes de outra pessoa simplesmente por ter sexo diferente. A luta é por humanidade, é por se sentir igual, não como a maioria dos homens comentam, “já que quer ser igual vai descarregar caminhão, de chapa”, quanta ignorância, quanta falta de inteligência e até mesmo empatia. As mulheres trabalham, estudam, lavam, passam, cuidam dos filhos, cozinham dentre outras atividades que são desenvolvidas e no entanto o outro não consegue perceber que isso não é justo?

A luta é por qualidade de vida, por direito a descanso, direito a ser humana e não escrava.