Não é pra sentir ódio! É pra amar!

Difícil, é não pensar no que aconteceu ontem, nas tragédias humanitárias, nas chacinas, nos nossos familiares e amigos consumidos pelas novas ondas do negaciosismo! O difícil é fazer algo a mais do que apenas lamentar, mas o que fazer? Além de deixar o ódio ser sentido?

 

Matar o jovem que matou as crianças na base do facão? Matar os policiais que mataram na favela? Matar os aliciadores do tráfico? Matar o presidente? Punir, castigar, exterminar…

Acabar com a esquerda? E seus simpatizantes? Prender pelo pensar, censurar o falar, julgar sem ter a autoridade, ou achar que tem a autoridade de um Deus?! E julgar.

Matar quem orou para o Paulo Gustavo encontrar seu criador? Ou somos nós, os mesmos do lado de lá? Nos tornamos odiadores! Como eles, os que odeiam!

 

Dentro do lamento sinto cheiro de sangue, não dos que já sangraram e estão mortos! Mas dos que “deveriam sangrar” de acordo com a lei de cada um…

 

Sinto o cheiro do medo! Do medo que cria a raiva de dentro pra fora! Raiva que consome a lucidez, que afronta a sensatez, que escraviza a razão de ser!

 

Porque não é pra ser como devemos ser de acordo com o pensamento comum! É pra ser incomum!

 

E por mais que pareça mentira, a verdade é que não é pra praguejar, é pra se ajoelhar pacificamente!

 

Não sinto o cheiro do que já sangrou! Pois sinto cheiro de ódio! Não sinto a suavidade do amor!

 

Sem perdão! Como sentir compaixão pelos que causam destruição?

Queria eu ter uma mensagem de esperança!

 

Mas dentro daquilo que podemos ver e vivenciar, não posso me atrever a ser complacente!

Vai ficar pior! Para quem não estiver do lado dos guerreiros! Quem estiver do lado da paz, seremos presos e torturados! Perseguido e muitas vezes morto!

 

Sinto a revolta dentro de mim! Sinto a vontade de ditar as regras! Sinto o desejo de dizer quem vive e quem não merece viver! Sinto vontade de matar, pedófilos, estupradores, assassinos, aliciadores de crianças para fazer o mal, políticos em geral, pastores ricos, juízes parciais, corruptos e todo os seus!

Nem Satanás faz isso, e quem faz, são aqueles que me fazem sentir revolta! Os injustos são os extremos entre quem mata e quem morre, são os guerreiros das guerras sem fim!

Existem reclamações sem soluções, mas não existe a vontade de ajudar a mudar, ninguém tem um plano, vejo o alimento sendo dado os pobres mas não vejo as correntes da escravidão sendo quebradas! Vejo a idolatria! Vejo a propaganda! Vejo a vaidade, deboche, inimizade, raiva! Vejo até a boa vontade! Mas não vejo a mudança da realidade! Do outro!

Não é o meu papel dizer coisas bonitas para agradar egos, ou para fazer multidões sorrirem por alguns minutos, não posso mentir! Pois sei que todos sabem que existe uma condenação pelos nossos atos, onde inocentes vão pagar junto aos culpados pelas ações de poucos, muitos vão pagar, mas muitos não estão se importando com isso! Querem apenas gritar! Mas não querem se render!

 

Aparentemente existe mil raciocínios, mas apenas duas formas de pensar! Ou sou um escravo, ou sou um filho!

 

E como filhos, temos a autoridade de não obedecer o que é estabelecido como sendo o que é! Pragmatizando a Politica ou ideologia, ou crença e razão social!

Temos a autoridade para mudar o curso do que já é maligno, não existe uma reforma, existe um império que cai! Que deve ser destruído! E não modificado! Um império onde o Rei, somos nós!

 

Complicado viver dentro desse dia a dia, onde tentamos olhar o ontem para não ter ansiedade do que virá amanhã!

 

Mais difícil ainda, é imaginar o amanhã! Sem ter realmente se convertido seus 180 graus!

Lutar sem usar as mesmas armas do inimigo! Passar de Rei, a servo!

 

Realmente acreditar!

 

O mundo está em trevas! Seremos um dia o que fizermos hoje! Estamos pensando muito no amanhã! Criamos expectativas de acordo futuro que desejamos ter, e não com a certeza de ser! De ter o caráter, que faz parte do DNA do próprio criador!

 

Deixamos de viver o hoje! Em sua plenitude! Na plenitude do amor, de amar além do que está próximo, amar também os que puxam seus gatilhos contra os negros e pobres, os crentes que creem que gays devessem morrer, amar até o diabólico presidente e seus vassalos! Pois hoje sei que ele é apenas um instrumento! Igual o Faraó Ramesés II.

 

Com ódio tudo já é! É na base do ódio que os negacionistas trabalham e deixam morrer, é na base do ódio que os policiais entram atirando nas favelas, é nessa base que pastores pregam seus próprios evangelhos, é por isso que existem sistemas como o capitalismo ou fascismo, nazismo e qualquer outra ditadura! É na base do ódio que existe o racismo! É na base do ódio que existem centenas de milhares de igrejas! É na base do ódio que existe quem defenda traficantes, e é na base politica, que os traficantes existem dentro das favelas, e nessa base que se criam as milicias!

 

Com base no ódio, as pessoas passam fome, sede e frio! É com ódio que as injustiças são feitas!

 

É na cólera que cometemos atos impensados! É na cólera que linchamentos acontecem!

O ódio provoca dissensão! Um coração com ódio disfarça as intenções, abriga a falsidade e esconde a maldade!

 

É o de lá odiando o de cá, e o de cá que era pra amar, odeia o de lá!

Não é para odiar o mundo! É para o mundo nos odiar!

É pra ser a base para suportar, em amor! É pra ser diferente! É pra parar de mitar…

Pois a revolução real é a que se sacrifica pelos que você odeia! Em amor!