Nos costumeiros dias de uma vida

Em nossa rotina particular, acordando, nos alimentando, na prática de alguma atividade, sendo no trabalho, em casa ou na rua! Dentro das preocupações diárias, no caminhar de um lado para outro, ou no caminho certo!

Pensamos em mil coisas, uns se concentram no passado, outros no futuro, alguns se concentram no agora, muitos tentam antecipar o futuro. Lavorando em benefício da fartura! Da vida em abundância! E não da vida satisfeita! Aqueles que buscam a colheita sem ter o prazer na plantação, sem apreço aos processos, sem a virtude da paciência! Uns até tentam colher o que não fora plantado!

E como diria a sabedoria popular, do saber do povo do mato, dos caipiras: Você colhe o que planta!

Mas e o capricho? O Amor? A alegria de ter o que plantar! Do sol para esquentar, da chuva para molhar, do solo, dos nutrientes! Do plano, da escolha do que vai ser cultivado!

É sabido! É sábio seguir pequenos textos que dizem mais que mil palavras! Para que se aprenda algo, para que possa instituir uma conduta! Para que seja um Norte que guiará seu próximo movimento! Sua próxima jogada! Do tempo gasto.

Não estou querendo falar sobre razões, de ir ou vir, de ser ou não ser! E nem dos grandes porquês da vida!

Pensando nisso! Não tem nada associado a uma certeza! Uma crença, ou crenças! Pois se fosse as crenças, e fossemos todos adeptos, seriamos inimigos uns dos outros! Igual a hoje! Não temos imaginação para sermos diferentes! Para aceitar o diferente! Para respeitar o diferenciado! Não temos a criatividade para defender a verdade que parece louca! E contraria ao que acreditamos hoje!

São erros passados se concretizando no presente e sem entendimento posso apostar que vão existir os mesmos erros num futuro próximo! No dia a dia, nas mazelas que destrói gerações, que oprime a natureza da criação! A desigualdade que se torna abandonada pelo pensamento de todos!

Assim como não tem associação com ideologias, dogmas ou doutrinas! Nem das que lutam em prol da conquista por direitos, ou das que lutam pela preservação da assimetria existente na sociedade.

Não querem se relacionar uns com os outros! Entraram em caminhos opostos que para cada um, o seu lado é o correto e o outro é o errado! E sempre que penso em lados, vejo o erro! Vejo que fazem parte de um mundo que sangra em guerras! Desde que existe um, contra um outro!

Como diz a história de um Deus, que andou entre nós! Seus passos foram juntos á pessoas desgraçadas! Onde Ele ia, ia agraciando os pobres! Defendia mulheres, acolhia as crianças, como anjos! Comeu com os miseráveis, conversava com quem não tinha valor dentro daquela comunidade, igual hoje!

E quando a maldade tomou conta do povo e quis matar a todos, Ele se entregou ao castigo de seu povo, por amor! Dizem por ai que esta história é verdadeira!

Parece até um absurdo, uma loucura! Mas Ele morreu pelo erro dos outros, porque amava a todos!

No livro que conta sua trajetória, Ele tinha umas ideias meio de esquerdista, tipo perdoar bandidos ao invés de matá-los, quebrava umas leis sagradas, era contra o feminicídio, dentro dessa fabula, teve até um caso de um cara muito rico que queria ser amigo desse Deus e andar com Ele, mas desistiu quando Deus mandou ele vender suas riquezas e dar aos pobres! Tudo e não apenas uma doação! Dizem também que Ele tinha poderes mágicos, mas quando usava esses poderes para ajudar alguém pedia sigilo, silencio, não queria glorias! Creio que por isso, pela simplicidade, não acreditavam que Ele era Deus, usava roupas simples, sem marca! Enquanto andavam a cavalo, ele escolheu um jumento, condenado a morrer desde que nasceu, tipo as crianças do sertão brasileiro, tentaram matar ele várias vezes, a pedrada! Uma das coisas que mais me chama a atenção é que Ele falou para amar os nossos inimigos! Louco né… Em vez de chamar de malditos, desgraçados, aqueles que pensam diferente, ou que votam em candidatos diferentes! Nessa divisão de visões entre lados opostos! Onde um acusa o outro de roubo, de genocídio…

Esse Deus usava palavras de acusação apenas contra, demônios e contra os que se achavam santos!

Entre ditados, sabedorias e provérbios, que venha o saber da disposição do coração! Reto!

Sem se desviar nem para a direita e nem para a esquerda! É pra tirar o pé da malignidade!

Mas qual seria o conceito de maligno? Onde podemos ver o mal, como identificar para que possamos nos afastar, ou reconhecer em nós esse mal para ser erradicado!

Talvez na antipatia de alguém, na rispidez de palavras, de atos.

Desumanidade! Contra credos contrários? Ideologias! Certezas ou até de alucinações…

Irritação com os poetas, aversão aos homossexuais, malevolência com as mulheres, crueldade com os animais, hostilidade aos de outra terra, na iniquidade dos que sobem em palcos, palanques ou altares! E se fazem de santos! Uns até dizem que Deus que esta acima de todos! Menos dos inimigos!

Da maleficência de quem defende a tortura, de quem cria passarinho em gaiola!

O ranço dos canceladores, a perseguição dos odiadores, a perseguição aos odiadores! Na raiva dos que ficam no encalço de quem quer que seja! Um molestador da liberdade! Na imparcialidade de um juiz, na covardia de não assumir responsabilidades, no caluniador!

Na mentira podemos ver a malignidade! No dinheiro também! Na vontade do conservador de aniquilar o contemporâneo! No antiquado modo de ser!

Na desonestidade de quem varre a sujeira para debaixo de um tapete!

Do comportamento perverso do Estado e na perversidade das instituições religiosas?

É ver o passado se repetindo, sempre e sempre e sempre…

Quais são os passos dados nos costumeiros dias de uma vida?

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here