O amor pela vida em tempos de COVID-19

Começo com o maior mandamento de todos: Amar o próximo como a ti mesmo!

Em tempos de pandemia como seria a prática deste mandamento? Primeiramente devemos entender o que vem a ser Deus, Deus é vida, Deus é o mais puro e verdadeiro amor?

Bem vamos lá…

Amar o próximo como a ti mesmo, destrinchando devemos primeiramente nos amar para podermos amar o próximo, isso já é bem nítido e de conhecimento de todos, então como devemos nos amar em um tempo cheio de rótulos, preconceitos, desamor, desumanidade, desrespeito e principalmente em tempos de COVID-19…

Ao nos olharmos no espelho será que vemos quem realmente somos ou vemos o que a sociedade fria, calculista, desumana quer que sejamos? Ou o que nós queremos ser?

Bem a partir dos pensamentos acima, chegamos aqui na época de pandemia mundial, onde todos fomos afetados, senão em questão de saúde física, mental e espiritual, fomos afetados financeiramente e profissionalmente.

O índice de casos de suicídios disparou, a venda de remédios controlados também e o pior a criminalidade aumentou, o consumo de drogas ilícitas, o que tem levado a estas situações deploráveis?

Ao conversar com várias pessoas de meu convívio, no final percebi que a origem de todos os problemas relatados é o tão conhecido mandamento citado acima.

Amar o próximo como a si mesmo, e como fazer isso? A grande maioria foi criada em famílias disfuncionais, que gerou adultos disfuncionais e foram jogados no mundo/vida como se estivesse tudo bem, eles trabalham, estudam, formam famílias sem ao mesmo saberem o que eles fazem aqui no mundo, sem saber o que eles devem fazer na vida, levando inocentes (esposas/esposos, filhos/filhas, familiares, colegas de trabalho e outros) a compartilharem de seus desequilíbrios internos…

Afinal como podemos resolver tudo isso?

Vamos lá, devemos saber quem nós realmente somos e isso inicia na infância, passa pela adolescência, fase adulta e a velhice, então sempre estamos nos conhecendo, crescendo. Hum já ficou mais fácil, uma vez que todos passamos pela mesma situação, para quem acha que perdeu este grande momento na vida, por achar que ele só acontece durante a infância.

Não, não e não o ser humano aprende e cresce durante todos os seus momentos de vida e evolui de uma forma ou de outra, portanto nunca é tarde para começar, recomeçar. Então, bola pra frente…

Estamos constantemente aprendendo e isso é maravilhoso!

Uma dádiva divina que nos é proporcionada em cada segundo de nossas vidas…

A capacidade de enxergar com os olhos do coração é o que falta para humanidade, se errou? Tente novamente, levante seja corajoso, se ame, se cuide, seja um ser humano que ame vencer desafios, se desafie perante a vida!

O primeiro desafio é sabermos quem nós realmente somos, nossos defeitos, nossas qualidades, e o principal nosso potencial ( seu uma pessoa conseguiu, por que você não conseguirá), e mudar o que não está certo e seguir sempre em frente.

Dói, dói muito nos olharmos, ver o que existe dentro de cada um de nós, mas é bastante necessário, sem esta fase não saímos do lugar e o pior colocamos inocentes dentro de problemas que são somente nossos e que cabe a nós resolvermos.

A hora da mudança é toda hora, todo momento, essa falta de disponibilidade de mudança tem gerado muitos problemas para toda a humanidade. Agora mesmo durante a pandemia as famílias que conviviam, mas não conviviam de verdade, estão aprendendo a se respeitar, a se amar, a se colocar no lugar do outro, o que estava em grande desuso para todos nós. Chegou a hora de se conhecer para se encaixar no mundo!

O trabalho interior é regido pelo amor, aprender a aceitar as imperfeições, aprender a lidar com as qualidades/defeitos, saber o que gosta e o que não gosta e principalmente saber que o outro é outro ser humano e que tem seus gostos, vontades, temperamentos diferentes, conforme suas realidades de vida e que mesmo assim existe uma grande beleza dentro destas diferenças todas, um grande aprendizado.

A pandemia nos trouxe de volta ao início de tudo, quem sou eu? O que faço aqui? Nos mostra que para termos autocontrole/autoconhecimento, precisamos voltar a nós mesmos, nos encontrar dentro de nós mesmos.

Você já se olhou no espelho hoje? E o viu o que? Ou quem? Redescobrimos que existimos, que somos alguém e que temos personalidade, gostos e escolhas. Começamos a nos ver com nossos próprios olhos, redescobrir o que é amor-próprio, amor ao próximo, auto-estima, auto-cuidado, este processo dever gradual exigindo muita disciplina, garra e perseverança.

Todos os problemas têm solução a não ser a morte! Certo? Certo, então levanta essa cabeça e segue seu caminho vivendo um dia de cada vez, resolvendo os problemas devagar e gradativamente, comece, esse é o primeiro passo, assim como fazer cada dia o melhor de todos os outros já vividos se superando cada vez mais, o quanto é maravilhosa a sensação de missão cumprida.

No final o resultado de ter vencido todos os problemas e obstáculos será gratificante e você será uma pessoa totalmente diferente da que iniciou este processo todo.

Se amar, se respeitar, saber de suas fraquezas, respeitar quem você é, e fazer que for preciso para chegar lá, de crescer e nos vermos bem melhores…

Trabalhar em casa, estudar em casa, brincar em casa, fazer exercícios em casa. O sonho de toda nossa sociedade se tornou realidade, mas da maneira mais cruel possível: um ataque invisível e que pode matar. O coronavírus chegou como algo inofensivo e hoje é uma realidade que assusta, amedrontam, aterroriza. Se transformar é preciso, virou um marco, quase um novo pós 11 de setembro.

Transformar, mudar, esse é o maior ensinamento do momento. Alguns desistiram de viajar, outros alteraram datas de festas e teve até quem cancelasse casamento. No mundo esportivo, a mudança foi radical e jamais vista na era moderna. Jogos, torneios, treinos, tudo cancelado.

Uma mudança que não tem preço na vida de qualquer ser humano. Apesar da preocupação que nos aflige, ficar em sintonia com a família em um momento de incertezas, não tem preço. Muitos serão os aprendizados, a transformação na cabeça de cada um.

Primeiro fique sozinho.
Primeiro comece a se divertir sozinho.
Primeiro amar a si mesmo.
Primeiro ser tão autenticamente feliz, que se ninguém vem, não importa; você está cheio, transbordando.
Se ninguém bate à sua porta, está tudo bem –
Você não está em falta.
Você não está esperando por alguém para vir e bater à porta.
Você está em casa.
Se alguém vier, bom, belo.
Se ninguém vier, também é bom e belo
Em seguida, você pode passar para um relacionamento.
Agora você se move como um mestre, não como um mendigo.
Agora você se move como um imperador, não como um mendigo.
E a pessoa que viveu em sua solidão será sempre atraídos para outra pessoa que também está vivendo sua solidão lindamente, porque o mesmo atrai o mesmo.
Quando dois mestres se encontram – mestres do seu ser, de sua solidão – felicidade não é apenas acrescentada: é multiplicada.
Torna-se um tremendo fenômeno de celebração.
E eles não exploram um ao outro, eles compartilham.
Eles não utilizam o outro.
Em vez disso, pelo contrário, ambos tornam-se UM e desfrutam da existência que os rodeia.

OSHO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here