O que é ser mulher para você?

Neste mês de março, considerado das mulheres pela lembrança ao Dia Internacional da Mulher (08/03), celebraremos com histórias de mulheres que inspiram outras mulheres. E consequentemente, homens também que já passaram pelas desconstruções internas. Escolhidas a dedo e tendo recebido nomes por e-mails, vamos entrar em suas vidas para mostrar o que há de bonito, forte, destemido, frágil, sensível. Porque ser mulher é uma mistura de tudo isso.

 

Lembrando que nosso blog “Café & Leitura” agora é quinzenal. E ainda dá tempo de você enviar o nome completo e o e-mail daquela mulher que de alguma forma oferece sentido ao seu caminhar na vida. Anote aí e venha comigo: jornalismocarolinesantana@gmail.com. A pergunta chave feita para elas foi “O que é ser mulher para você?” Talvez todas tenham um comportamento, motivação e conceito sobre isso, mas é bem fácil que todas irão se identificar porque a empatia move o mundo delas.

 

Ao caminhar e rezando como faço diariamente, fiquei pensando nessa frase e na ícone de Simone de Beavouir que dizia: “Não se nasce mulher, torna-se mulher.” Ela fez e faz parte da minha vida. Símbolo do movimento feminista, a escritora sacudiu a França na época e continua abrilhantando o mundo através dos seus escritos. Não adianta entender ao pé da letra, proferir sobre feminismo sem conhecer e até ser contra. É preciso conhecê-lo. A Revista Galileu explicou alguns de seus pensamentos.

 

O Segundo Sexo

 

E a frase que citei acima está presente no seu livro “O Segundo Sexo”, de 1949. De acordo com Marília Marasciulo, Simone define a forma que a fêmea humana assume no seio da sociedade; é o conjunto da civilização que elabora esse produto intermediário entre o macho e o castrado que qualificam o feminino. Para ser mais didática, Marília afirma que a escritora feminista com viés no existencialismo defende a distinção entre sexo e gênero. Em outras palavras, existe primeiro o fator biológico e o segundo é construído pela sociedade.

 

Nós enquanto mulheres na sociedade temos nossos padrões e comportamentos moldados ao longo de nossas vidas. Com isso, você pode pensar o que já deixou de fazer por ser mulher. Muitas portas já foram abertas e alguns muros derrubados, mas a luta é contínua em afirmar e provar que nós mulheres podemos fazer muitas coisas e até melhores (sem competição, e sim, união) com os homens. Cada um pode contribuir com o outro sem colocar à prova que a mulher é apenas bonita. Ela pode ser o que quiser. Que estes pensamentos possam abrir a reflexão do que vem por aí com as histórias dessas mulheres que lutaram muito para chegar onde estão. Vamos lá? Até o próximo texto!