Somos mais do que irmãs

Foto: Karina Migueleti

Todos os meus textos são autorais. Eles só mudam os estilos. E o de hoje, 25, será muito mais do que descritivo. Ele tem cheiro de flor, gosto doce na boca e é altamente pessoal. Até por se tratar de blog, é o que muitos esperam. Vou escrever sobre uma mulher que também é menina e completará mais uma primavera na próxima quarta-feira, 26. Ela se chama Camila, é a filha do meio de Celso Eduardo e Maria Divina. A virginiana da família que atende todos bem em seu trabalho, uma excelente mãe e que adora organizar festas. Na verdade, por se tratar de uma virginiana, adora organizar tudo.

 

Somos mais do que irmãs, somos friends. Quem tem irmãos sabe o quanto cada um é diferente e especial. E o quanto podem disputar sua atenção e serem ciumentos também. Não me lembro se eu era da Camila ao perder meu espaço e tornar-se a filha mais velha, portanto, a que é mais pressionada. Na verdade, esperam muito de mim. Começando por mim, uma pessoa altamente perfeccionista. Mas voltando à Camila, sempre fomos crianças diferentes. Se ela gostava de se mostrar, eu era de me esconder. Em todos os sentidos. Era meio que “Eduardo e Mônica”, na versão irmãs.

 

Brincadeiras à parte, sempre admirei essa mulher que aprendeu a dirigir com a vida e a própria vida. Que tem quatro (4) filhos, mesmo um deles tendo partido logo após três dias de nascido. Virou anjo! E ensinou aqui na Terra que sua mãe precisa ser guerreira. Mulher que acorda cedo para batalhar o pão, mulher fervorosa, de fé, que ora pelos seus e por quem nem conhece. Está sempre bonita mesmo que seja de coque na cabeça. Nunca deixou de se arrumar para enfrentar a vida e um pneu furado em plena avenida. Ela que gosta de ‘gordices’ e das coisas boas da vida. Quem sempre?

 

Uma mulher que por onde passa, já chega causando e nem é escorpiana. É fechada em seu mundo, mas de vez em quando abre um sorriso. Que fala baixo e tentamos ouvir com o coração. É suave, mas também brava. Talvez seja um ponto alto da família Santana, de não deixar nada para trás ou levar desaforo para casa. Que provavelmente quando chegar aos 80 anos terá a mesma fisionomia. Aquela ali não envelhece. Apenas fica madura em suas atitudes. Já viveu tantas pancadas na vida que agora merece colher todos os louros possíveis. Tem a risada mais divertida. Se você ouvi-la, pode ser qualquer coisa, você começará a gargalhar também. Tem mania de não largar o celular. Talvez seja medo de enfrentar o rosto alheio.

 

Já foi julgada por comentários diversos. Quem nunca? Não se abalou. É pedra firmada na rocha. Possui o coração puro e alma leve como criança. Faz os melhores pratos e tudo fotografa, mas não sem antes ser grata pelo alimento e pela vida. Tem música com seu nome e vai ganhar surpresa também. Merece todas as alegrias que seu coração permitir. Presenteia sem data especial. Tem o mesmo ‘mal’ que eu porque sempre sofremos com isso: quer ver todos bem e felizes. Gente feliz, afinal, não enche o saco.

 

É verdadeira e cuida da sua própria vida. Ensina o caminho de Deus para os filhos e aprende constantemente com eles. Não pode ver uma novidade que quer experimentar. É linda, forte, determinada, ousada. Minha irmã, mana, gata, deusa, Camila, seja feliz todos os dias ou pelo menos tente. Que este ano particular chegue para te ensinar ainda mais e possa continuar derrubando muralhas, construindo seu lar interno e aprenda a se amar com a vida. Feliz Aniversário!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here