Um ano depois e elas continuam usando botas

Imagens: @bootsforever70

Há um ano em plena pandemia, o Na Pauta Online, entrevistou seis mulheres que tem em seu estilo de vida o uso de botas! Passado este um ano, falamos com elas novamente, veja o que cada uma delas respondeu:

NPO – Segundo ano sem festa agropecuária e sem festas juninas, qual a sensação?

Vivian Alves – A sensação é muito ruim, sem o calor humano, sem produção temática para as festas.

(VIVIAN ALVES - PUBLICITÁRIA)
VIVIAN ALVES – PUBLICITÁRIA

NPO – Mesmo sem estas festas, você continua usando botas?

Vivian Alves – O dia não pode amanhecer com o sol fechado, que já pego ela, principalmente agora em maio e junho.

NPO – Neste 1 ano em que fizemos a primeira matéria, você comprou alguma bota nova, se sim, quantas?

Vivian Alves – Não comprei nenhuma.

NPO – Você é uma mulher que não abre mão de usar uma bota?

Vivian Alves – Sem duvida! Esfriou já uso e aos finais de semana para ir andar a cavalo com o amor!


NPO – Segundo ano sem festa agropecuária e sem festas juninas, qual a sensação?

Roberta Oliveira – Sim, será mais um ano sem a festa agropecuária e sem as festas juninas escolares, de rua, paróquias, clubes… A sensação é (continua sendo) de insegurança e de cuidados, além de tristeza por tantas mortes. Sensação que não há o que festejar ou comemorar. O clima festivo está mais frio que o período do ano.

ROBERTA OLIVEIRA - PROFESSORA, FUNCIONÁRIA PÚBLICA
ROBERTA OLIVEIRA – PROFESSORA, FUNCIONÁRIA PÚBLICA

NPO – Mesmo sem estas festas, você continua usando botas?

Roberta Oliveira – Sim, continuo usando botas. Para mim as botas estão mais associadas ao clima, estação, estilo, conforto, segurança, praticidade do que festa agropecuária e a tradicional junina propriamente.

NPO – Neste 1 ano em que fizemos a primeira matéria, você comprou alguma bota nova, se sim, quantas?

Roberta Oliveira – Confesso que comprei mais chinelos, tênis, sapatilhas nesse último ano. Nesse ano que se passou (maio/2020 a maio/2021) não comprei nenhuma bota, pois além da pandemia, trabalho remoto, comércio fechado em grande parte desse período, o clima esteve quente, e as botas adquiridas antes de maio 2020 estão muito novas, praticamente sem uso.

NPO – Você é uma mulher que não abre mão de usar uma bota?

Roberta Oliveira – Eu estive em Minas Gerais no último mês de abril, e lá o clima estava mais frio e propício para casacos, looks de inverno, e botas. Tendo um friozinho ou uma chuvinha, eu faço questão de usar botas sim. Gosto muito! Acho sempre mais adequado para a estação, mais quentinho para o pés, protege, e considero muito elegante.


NPO – Segundo ano sem festa agropecuária e sem festas juninas, qual a sensação?

Ana Cláudia – Como uma goiana raiz, a sensação é bem ruim. Falta algo no ano, é como se tivéssemos pulado uma etapa ou estação, rs. Mas, de outro lado, vivenciamos mais um ano atípico em que estamos tentando voltar ao ritmo, tudo está diferente. Perdemos tantas pessoas boas e importantes. É preciso reaprendermos a viver sem elas. E, nesse processo, aos poucos e com cautela, nós voltaremos em breve à caminhada normal da vida, e, claro: usando botas nas festas agropecuárias e juninas!

ANA CLÁUDIA ALVES - ADVOGADA
ANA CLÁUDIA ALVES – ADVOGADA

NPO – Mesmo sem estas festas, você continua usando botas?

Ana Cláudia – Com certeza! Faça chuva ou sol, eu não abro mão de usar botas.

NPO – Neste 1 ano em que fizemos a primeira matéria, você comprou alguma bota nova, se sim, quantas?

Ana Cláudia – Sim, eu comprei mais dois pares. E ainda nesse período em que as vitrines estão repletas de coisas lindas, eu penso em adquirir mais algumas.

NPO – Você é uma mulher que não abre mão de usar uma bota?

Ana Cláudia – Eu sempre fui apaixonada em botas e todo mundo que me conhece sabe dessa realidade. Realmente, eu não abro mão. Amo demais.


NPO – Segundo ano sem festa agropecuária e sem festas juninas, qual a sensação?

Fabiana Nogueira – Infelizmente estamos vivendo um tempo de reflexão, quais são os itens que tem relevância, nos valores que temos de cada detalhe…creio ser lamentável não podermos usufruir de festas, que relatam nossa cultura, mas nesse momento o que é mais importante? Estarmos vivos e saudáveis, então creio que festas neste momento estão obsoletas para a real importância de se preservar desta fase tão difícil!

Fabiana Nogueira – Designer de interiores e paisagismo
FABIANA NOGUEIRA – DESIGNER DE INTERIORES

NPO – Mesmo sem estas festas, você continua usando botas?

Fabiana Nogueira – Com certeza, isso é um estilo, um tempo, um clima, um momento, que se casa com oportunidade e estilo!

NPO – Neste 1 ano em que fizemos a primeira matéria, você comprou alguma bota nova, se sim, quantas?

Fabiana Nogueira – Esse ano não comprei botas, até porque nem tivemos lugares ou shoppings e lojas abertas para isso! Esse ano não foi um ano para consumismo!

NPO – Você é uma mulher que não abre mão de usar uma bota?

Fabiana Nogueira – Realmente não abro mão de usar botas, seja dias quentes em meu trabalho, em obras, ou dias frios com a beleza do vestuário , seja nos dias chuvosos que nos protegem de nos molhar…para mim sempre terão dias pra usar botas! Adoroooooo!


NPO – Segundo ano sem festa agropecuária e sem festas juninas, qual a sensação?

Kiara Karizy – Sensação de tristeza e revolta, porque já poderíamos estar retomando as nossas vidas se tivéssemos uma política nacional de enfrentamento ao Covid.

NPO – Mesmo sem estas festas, você continua usando botas?

Kiara Karizy – Usei uma única vez em uma viagem que fiz a Gramado-RS no início do ano.

NPO – Neste 1 ano em que fizemos a primeira matéria, você comprou alguma bota nova, se sim, quantas?

Kiara Karizy – Comprei uma, na minha viagem a Gramado-RS. Não dá para viajar para o Sul e voltar sem uma bota nova.

NPO – Você é uma mulher que não abre mão de usar uma bota?

Kiara Karizy – Adoro usar bota, acho elegante, estiloso e se o clima estiver favorável eu não abro mão da bota, mas se estiver quente, prefiro calçar algo mais leve, mais fresco essa é a verdade.


NPO – Segundo ano sem festa agropecuária e sem festas juninas, qual a sensação?

Aline Mendes – A ausência das festas agropecuárias e juninas, abrem um espaço para que as botas ganhem um espaço fashionista e saiam desta esfera de vinculação unica.

ALINE FERNANDES - SERVIDORA PÚBLICA E PROFESSORA UNIVERSITÁRIA
ALINE FERNANDES – SERVIDORA PÚBLICA E PROFESSORA UNIVERSITÁRIA

NPO – Mesmo sem estas festas, você continua usando botas?

Aline Mendes – Sim. O uso de botas para mim decorre do tempo frio para proteção e aquecimento e não necessariamente à festas.

NPO – Neste 1 ano em que fizemos a primeira matéria, você comprou alguma bota nova, se sim, quantas?

Aline Mendes – Não comprei. Apenas doei algumas que não estava usando.

NPO – Você é uma mulher que não abre mão de usar uma bota?

Aline Mendes – Não sou tão intransigente, mas sempre que há oportunidades eu tiro as botas do armário e as ponho nos pés.